Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

Olá amigos,
Venho dar-vos a conhecer o blog da Raquel, A Páginas Tantas..., que colocou lá em destaque o meu último texto no "About Last Night" intitulado "Eu não posso...". Sobre este destaque a Raquel refere que não é muito de colocar textos de outras pessoas no seu blog, mas neste caso abriu uma excepção porque diz que o meu texto transmite muito do que ela acredita sobre a forma de se estar na vida.


À Raquel eu só lhe posso dizer que claro que não me importo, e que até me sinto muito orgulhoso por o fazer. Afinal aquilo que escrevemos é para partilharmos, e isso é que é importante. Mais uma vez fiquei sensibilizado por este reconhecimento, que me continua a ajudar a acreditar que vale a pena continuar.
Beijinhos e abraços para todos.

Eu não posso acabar com todos os teus problemas, dúvidas ou medos, mas eu posso ouvir-te, e juntos podemos procurar soluções.

Eu não posso apagar as mágoas e as dores do teu passado, nem posso decidir qual será o teu futuro, mas posso estar contigo se precisares de mim.

Eu não posso impedir que tu caias, mas posso oferecer-te a minha mão para tu agarrares e te levantares.

As tuas alegrias, triunfos, sucessos e felicidades não me pertencem, mas os teus risos e sorrisos fazem parte dos meus maiores bens.

Não devo tomar decisões por ti, nem devo julgar as decisões que tu tomares, mas posso apoiar-te, encorajar-te e ajudar-te se me pedires.

Eu não posso traçar ou impor-te limites, mas posso apontar-te caminhos alternativos.

Eu não posso salvar o teu coração de ser partido pela dor, pela mágoa, perda ou tristeza, mas posso chorar contigo e ajudar-te a juntar os pedaços.

Eu não posso dizer quem tu és ou como deverias ser...

Eu só posso amar-te e ser teu Amigo.

Olá amigos,
Queria chamar-vos a atenção para um texto que está publicado no blog
Domínio dos Anjos escrito pelo Humbertothewizard, intitulado Amar - No About Last Night..., e que me sensibilizou bastante, como há muito tempo não me acontecia. Deixou-me simplesmente sem palavras, e por isso não queria deixar de partilhar convosco. Vou então republicá-lo aqui na íntegra:


Amar - No About Last Night...

Amor é uma palavra mágica que une sentimentos e desperta a mais irredutível das sensibilidades. O amor não é complicado, é simples, transparente, não tem cor. É livre, verdadeiro e genuíno, não obedece a partidos, mas escuta somente a sua própria voz. Todos nós andamos sempre em busca dele, compreendendo que ele é realmente a semente que frutifica a felicidade, e existirá maior felicidade que estar apaixonado por alguém que, para quem o ama, é o centro do universo?

O amor e a paixão são a maior força universal que pode existir. Aproxima e une dois seres, em perfeita sintonia de pensamento, carácter e emoções, estabelecendo um ínfimo e íntimo, contudo inexplicável por palavras, laço de amizade e devoção. O amor é isso mesmo. A elevação dentro do espírito humano da bondade, tolerância e entendimento entre duas almas, que por força de amor mútuo resolveram enfrentar a fúria da vida em conjugação de esforços, nas horas doces e amargas, nas alegrias e tristezas, duas metades de uma esfera que o amor unificou.

É este o tema central de um curioso e apaixonante artigo intitulado Amar que o Art of Love (Arte do Amor), publicou no seu extremoso blog intitulado About Last Night... (Lembras-te da Última Noite?...). Um espaço marcado todo ele pela felicidade que o amor pode trazer à vida de qualquer um de nós. Feito de sentimento e extrema sensibilidade, este é um lugar para todos aqueles que vêm na paixão por alguém, a quem amam decididamente, um sitio de visita obrigatória.

Art of Love é um rapaz de divina inspiração nestes assuntos que dizem respeito ao coração, vão até lá observar como o amor se pode transformar numa belíssima obra de arte, perfeita e intemporal.

About Last Night... ensina que, na arte do amor a sinceridade e a frontalidade de quem ama é importante numa relação a dois, para que não se fique com o ressentimento de que ficou algo por dizer, por explicar e por Amar.

Humbertothewizard


Cheguei aqui, a esta "coisa" dos blogs, sozinho, sem saber bem o que isto era, e fui vendo crescer um cordão de gente bonita à minha volta, e dia a dia fui percebendo a partilha. Fomos trocando sorrisos, abraços, algumas mágoas e cansaços... mas fomos, por isso, criando laços. E são por vezes este tipo de reconhecimentos que nos fazem ter forças para continuar. Acreditem que este veio na altura certa... numa altura em que eu pondero seriamente fazer uma pausa no About Last Night. Mas perante este tipo de reconhecimentos... fico sem saber o que fazer...
Beijinhos e abraços para todos.

Mas será possível que a maioria dos homens que me escrevem têm na cabeça o mesmo objectivo: "Posso Conhecê-la?" ou - género mais abusivo - "Podes mandar-me uma fotografia?"

Gosto de agradecer a quem decide escrever-me, seja para o elogio, seja para a ofensa. O acto de escrever é sempre corajoso e eu gosto de estar à altura da resposta, mas quando descamba para o piropo piroso ou para a ofensa desisto.

Pensarão que por eu ser mulher, vou aceder desesperadamente ao convite para um encontro? Ó meus amigos...!!!

Acham que por eu me dar a quem gosto, estou disposta a dar-me a quem não conheço (?). Tudo isto é mais curioso quando partem para o insulto fácil, por não obterem resposta aos convites. Desde pequenina que sempre ouvi dizer que para grandes mails, grandes remédios.

A minha mãe sempre me disse: "Tu não sejas oferecida". Já o meu pai preferia repetir-me vezes sem conta: "A fruta não se come antes de estar madura".

Os dois tinham razão, mas sempre gostei de os contrariar. Porque não hei-de eu comer um perozito verde se a fruta madura, às vezes, já vem mole? Eu nunca precisei de ser uma oferecida, mas, se me quiser dar por "dá-cá-aquela-fruta", dou.


Obrigado por me teres ensinado como é amar...

Amar é... ansiar tua chegada...
Amar é... querer sempre estar ao teu lado...
Amar é... sentir o meu coração palpitar quando te vejo...
Amar é... emocionar-me com o teu olhar...
Amar é... querer partilhar a vida contigo...
Amar é... querer andar de mãos dadas e sentir o teu corpo através do meu...
Amar é... fazer amor com emoção...
Amar é... vislumbrar a tua beleza...
Amar é... adorar o teu corpo e a tua alma...
Amar é... gostar de teus defeitos...
Por tudo isto eu agradeço-te...

Por me dares a oportunidade de conhecer o verdadeiro amor. Se não fosses tu, eu teria passado pela vida sem ter conhecido o verdadeiro significado da frase:

"Eu amo-te..."

Tu chegaste à minha vida e eu nem acreditei, acho que caíste do céu... acho que é tudo possível, e que a tua presença tem tanto de imprevisível como de certo. Tu chegaste com um sorriso que me deu a volta à cabeça, com o coração cheio como uma caixa de chocolates.




Agora sempre que vens chegas com um ar cansado, e quando te vais embora a tua expressão muda e vais com a felicidade no rosto. É como se te tivesse alimentado de alegria e felicidade, e no teu corpo corresse toda a harmonia do mundo.

Abraças-me com cuidado, como se eu fosse uma criança e dizes-me que vai ficar tudo bem, e eu acredito em ti como se tivesse cinco anos e me contasses uma história diferente todas as noites antes de eu adormecer.

Enquanto ficas inventas sempre uma forma mágica de eu não me aperceber das horas a passar, iluminas-me a casa e o corpo, fazes com que os dias se colem às noites... como se nunca adormecêssemos, porque todos os minutos são preciosos e todas as horas são perfeitas... Passeamos... rimos... conversamos... jantamos... e dormimos como siameses...

De manhã quando acordo primeiro do que tu, fico ao teu lado muito quieta a respirar o teu sono, à espera de te ver acordar. Nunca te disse que nessas manhãs é quando te quero mais, e desejo o melhor do mundo para "nós".

Nunca te disse que a tua beleza me comove... que a tua voz me paralisa de prazer... que o teu corpo é um presente... e a tua boca um mistério perfeito. Nunca te contei que sempre imaginei ter uma vida diferente das outras mulheres, nunca quis laços nem alianças, papéis de cartório e outros princípios abstractos que só servem para confundir os corações dos homens.

O que eu quero é que fiques comigo o tempo todo que quiseres, que voltes sempre que tiveres tempo e a vontade for mais forte, e que nunca deixes de ser assim livre e sonhador, para quem o mundo é um lugar fácil e onde tudo é possível.

E se um dia não voltares e o teu coração voar para outro lugar, irei continuar a acreditar que todas as vidas podem ter histórias diferentes, mas sempre com finais felizes.

Há um ano ninguém sabia quem eu era. Um ano depois, poucos sabem ainda quem sou (eu própria tenho dificuldades em conhecer-me...). Queriam um rosto para ser mais fácil catalogar-me? Não é coisa que eu pense dar-vos... nem vocês ganham por me saber... morena (mas sou).

Os meus textos aqui no "Pedaços de Nós" vão falar sobre coisas com que vivemos. Às vezes será o amor, a angústia, o passado, outras vezes poderá ser uma experiência nova, um sonho húmido, ou uma noite mal dormida mas bem gozada.

Tornei-me curiosa muito cedo, e nas dúvidas dos outros ouço as minhas respostas. Troco a facilidade de um insulto pelo prazer de um elogio e cedo facilmente a qualquer tentação. Só quem, como eu, cai em tentações tem histórias para contar.

Boas ou más? Vou deixar o julgamento a quem me ler. Irei falar muito de sexo? Mas não falamos todos? Quem se contiver para falar de prazer irá ficar sempre a meio do caminho... e eu gosto de ir até ao fim.

Ainda será o sexo um tabu? Se ainda é, a culpa é das mulheres... e dos homens. Se o sexo ainda for tabu... deixem-me ser the sweetest taboo.


O amor...???

Vocês entendem essa loucura?

Entendem que seja possível olhar nos olhos de alguém e de súbito saber que a vida será impossível sem eles?

Saber que a voz da pessoa pode fazer o vosso coração falhar, e que a companhia dessa pessoa é tudo que a vossa felicidade pode desejar, e que a ausência dela deixará a vossa alma solitária, desolada e perdida?

Isso já vos aconteceu?

É que para mim estar sem ela é como estar sem mim...

Os textos e os comentários...
São laços que nos unem na simplicidade do sonho...
São momentos... são pedaços!!!


Um mês repleto de posts e comentários construtivos sobre a vida… com alguns pensamentos, ideias, poesia, realidade, brincadeira, e algumas fotos lindas foram as marcas deste mês… Temos tido por aqui a participação regular de quase todos os elementos do "Pedaços"... helloooooo Peter Pan X e Manhe !!!

Vamos continuar a fazer deste espaço um pequeno fórum entre todos nós. Para isso esperarei a contribuição mais activa de alguns dos participantes, especialmente nos comentários, já que eles são a parte não visível do "Pedaços", mas que não deixam de ter uma grande importância para o sucesso e sobrevivência do mesmo.


Agora como brincadeira gostaria que fizessem este pequeno exercício... aqui vai:

Façam esta conta bem rápido e de cabeça.



Vá lá, sem batotas!!!




Rápido e de cabeça!





Têm 1000, acrescentem-lhe 40. Acrescentem mais 1000. Acrescentem mais 30 e novamente 1000. Acrescentem 20. Acrescentem 1000 e ainda 10.

Qual é o total????


O resultado é 5000?

Às vezes ponho-me a pensar na situação emocional dos nossos dias. Passamos por uma "revolução" em termos de relacionamentos.

A grande maioria deles perdeu completamente o sentido e o encanto. Hoje em dia, é muito difícil encontrar alguém interessante, com quem seja possível identificarmo-nos e com quem se possa sair sem "segundas intenções".

Sou um pouco antiquado? Talvez... Não sou do género de pessoa que goste de ficar com uma por noite, ou que acredite que o melhor sexo da minha vida possa ser realizado com alguém que acabei de conhecer. Não é impossível de acontecer, mas acho pouco provável. Para mim, por mais estranho que possa parecer, o sexo está intimamente ligado ao amor... ao carinho... ao afecto.

Hoje em dia, as mulheres têm mais liberdade para sair e se divertirem do que há alguns anos atrás. Elas descobriram o "poder" que possuem nas mãos e passaram a usá-lo. Onde eu quero chegar com tudo isto?

Directamente no seguinte ponto: Há alguns anos atrás, as pessoas estavam juntas, mas não tinham sexo na primeira noite. Se o faziam, era numa proporção muito pequena. Actualmente, é difícil isso não acontecer. E o que tem isso?

A princípio... nada. Apenas a banalização de algo que deveria acontecer em níveis mais profundos, menos associados a necessidades básicas. Vejo que as pessoas perderam os seus limites. Não sabem mais distinguir o "certo" do "errado". Não é que exista isso quando se fala de sentimentos, mas eu acredito que não há nada melhor do que viver uma fase de cada vez. Sair... conhecer... namorar... casar... e cada vez menos, eu vejo isto acontecer. Olho para os lados e procuro alguém que pense como eu. Não encontro muitas pessoas!!!

São raras as pessoas que pensam assim. Assustadoramente, o número de mulheres com pensamentos semelhantes a estes diminui cada dia que passa. Elas tornaram-se "homens" à procura de diversão. Sexo sem compromisso... sexo pelo sexo... Não vou ser hipócrita ao ponto de afirmar que só fiz sexo até hoje com pessoas que amei. Mas, existe coisa melhor do que praticar sexo com alguém que se ama? Sentir a intimidade... a pulsação... o conhecimento da outra pessoa? Literalmente... "fazer amor"?

Nada substitui esse prazer... o de sentir alguma coisa mais do que excitação pela pessoa com quem se está. O encontro dos corpos... o enlace das bocas... a reunião das almas. Eu vejo que as pessoas já se esqueceram de como é importante isso. Banalizam os sentimentos... os desejos... os sonhos. Às vezes, eu pergunto a mim mesmo onde isto tudo vai parar.

O que eu penso sobre isto é que vai chegar um momento em que não se vai poder ir mais além do que já se foi... o limite. Nessa altura, a tendência vai ser a de voltar às coisas que foram abandonadas... esquecidas. Flores... jantares... cinema... dançar... andar de mãos dadas...

Para alguns, essas coisas entraram em desuso. Foram para o esquecimento. Não quero generalizar. Sei que existem pessoas que não pensam assim. O problema é que essas pessoas são cada vez menos. Não vou dizer que eu é que estou certo e o resto está errado. Esta é apenas a minha opinião sobre o assunto.


E vocês, o que pensam sobre este assunto?

Apaixonei-me num momento desprevenido!!!
Estava hoje a ver o jogo de futebol, ela meteu-se à frente do televisor e, em vez de lhe dar um grito, não reparei... pela minha saúde... fiquei ali especado a olhar para ela. Um minuto de exposição foi quanto bastou. Não se pode olhar muito tempo para gajas bonitas sem este género de merdas acontecerem...

As tuas cicatrizes ainda estão visíveis, por tudo de errado que a vida te tem feito.

Mas eu sinto um grande amor por ti, por isso tenho a certeza de que te posso ajudar a curar essas cicatrizes. Agora estou aqui para acender a chama da paixão, mas de um ângulo diferente, amor. Mas tu continuas a jogar o mesmo jogo de antes. Amor, não sejas vítima das tuas cicatrizes, não deixes o teu passado chegar perto de ti.

Essas cicatrizes estão a tentar separar-nos, e estão a fazer-me de vítima também. Eu sei que a ansiedade vem de cada vez que eu me vou embora, porque ainda não a conseguimos controlar. O nosso amor está a fortalecer-se a cada dia, não deixes que nada venha e roube a nossa felicidade.

Eu não te vou deixar... Eu não te vou deixar...
E tu não te deixes ser vítima das tuas cicatrizes...

Eu queria que a distância entre nós não fosse tão grande. Eu sei, milhares de coisas aconteceram, inúmeros sentimentos mudaram, desejos, vontades, o amor até. Mesmo assim, não queria que fosse desta forma... tu tão distante...

Queria que tu estivesses aqui... que eu pudesse cuidar de ti... dar-te beijos e abraços... conversar ao ouvido... baixinho... coisas que só dizem respeito a nós os dois... ao que aconteceu... ao que poderá ainda acontecer... nós... de mãos dadas... unidos pelo mesmo sentimento. Sonho ou ilusão?

Ouvi dizer uma vez que os sonhos são projectos não concluídos, e devo reconhecer que é uma realidade, dura, cruel, real, quase palpável. E assim eu recordo os nossos sonhos... amor... carinho... paixão... amizade... cumplicidade. Amantes, sim. Porque não? Amantes um do outro. Apaixonados pela presença, amando cada segundo, com a cumplicidade explícita nos olhos... nos sentidos... nos momentos.

A vida prega partidas... sim... muitas... diversas... partidas demais. Chegaria a ser cómico, se não fosse trágico. As lágrimas correm pelos meus olhos agora. A saudade apertou... chegou... sem hora para ir embora. Saudade de um olhar... de um sorriso... de um beijo... saudade de ti... das tuas palavras... das nossas conversas... dos nossos momentos juntos... curtos ou não... intensos... inigualáveis... inimagináveis. Absolutamente, sinto falta... de tudo... de muita coisa que fica sempre por fazer. De um telefonema... de uma mensagem... de um sinal. Promessas... desejos, mais uma vez... realizados ou não.

Pendentes? Talvez... e mais uma vez, eu vou esperar para ver que tipo de surpresa a vida me vai reservar. Boa ou má. Agradável ou não. Felicidade ou tristeza. Eu não queria ter uma bola de cristal para saber, mas queria muito saber de verdade o que nos espera no futuro. Se é amor. Se é carinho. Se é nada.

Enquanto não descubro. Enquanto os teus olhos se escondem. Enquanto não tenho a resposta que procuro, fico por aqui. Pensando ou escrevendo. Sonhando ou planeando. Vivendo. Porque a vida não pára. E nem eu devo parar.

Shhhhhhhhhhhhh
São segredos...
Não posso contar...
Shhhhhhhhhhhhh
São segredos para guardar...
Shhhhhhhhhhhhh

Não sei se o acaso quis brincar connosco, ou se foi a vida que nos escolheu.
Por ironia fez cruzar o meu caminho com o teu.
Eu nem queria mais sofrer a agonia de uma paixão.
Nem tinha mais o que esquecer, vivia em paz na minha "solidão".
Mas foi ao encontrar-te que o futuro chegou como um presente. Os meus olhos brilharam no escuro da emoção.
Não sei se o acaso quis brincar connosco, ou se foi a vida que nos escolheu.
Por ironia fez cruzar o teu caminho com o meu.

Há dias em que acordo... e tu podes estar ou não ao meu lado a dormir como uma criança, ou a viver na minha memória... que eu sinto sempre o teu cheiro, a tua respiração... e vejo o teu peito a subir e a descer ao ritmo do teu coração.

Faço tudo devagar, com a doçura e a sabedoria dos eternos apaixonados que vivem a sonhar acordados, que viajam para outras cidades em sonhos, que adivinham o futuro... que imaginam cada dia como o dia perfeito das suas vidas. Tu és o meu amor perfeito...

Sei exactamente quem és, e em que cidade vives... sei que és muito bonita, que tens um coração onde cabe o mundo inteiro... que gostas de ler e de rir com os teus amigos. Gostas de viajar, e falas várias línguas... andas de ténis, e de calças com bolsos...

Tu és o meu amor perfeito... Que me dá a mão na rua, que me abraça no meio de todas as praças, e me leva para a cama sem hora marcada. Tens um sorriso enorme e sempre que olhas para mim, sinto um arrepio no estômago e tenho vontade de rir e de chorar ao mesmo tempo, porque sabes fazer-me a pessoa mais feliz do mundo.

Não sei de que planeta desceste, mas tenho a certeza que vives na terra e que, tal como eu, sonhas com um amor perfeito... feito de paz. Um amor seguro e tranquilo que a distância não mata nem o silêncio consome.

Pode ser que te tornes mesmo verdade, e que um dia destes te entre pela porta de casa e te diga que nunca mais me vou embora. Mas, mesmo que nunca vá, és o meu amor perfeito, a imagem idealizada do que desejo e mereço, o sonho que me faz acordar e sentir-me com estrelas nos olhos e o coração cheio de açúcar.

Gostava de vos contar a nossa história para que as pessoas más deste mundo percebessem que não são as piores enquanto existirmos nós. Sobretudo a Dä®k Añgë£ que é uma mulher má. O pior é que já não me lembro de quase nada, e não tenho vontade nenhuma de vos contar. A nossa história é comprida e chata, pelo menos para quem como eu a vive.

A Dä®k Añgë£ tem mais jeito do que eu para contar histórias e dizer a verdade... tem mais jeito, mas menos paciência. Falta-lhe o instinto de partilhar... não se pode ter tudo quando se é tão má. Sempre me causou dor este facto...

Eu antigamente antes de conhecer a Dä®k Añgë£ era bom. Queria ter tudo e nunca tive nada. Eu era aquele para quem ter tudo era pouco...

Antes de virem para este planeta, os aspectos femininos e masculinos da alma eram unidos.

Quando vieram para este mundo, e não vieram necessariamente ao mesmo tempo, o masculino e o feminino separaram-se, e criaram assim o conceito de almas gémeas, que são almas que se complementam totalmente.

O casamento entre almas gémeas é muito raro, e pode-se dizer que actualmente a maioria dos casamentos são processos de correcção. Antes de se encontrar a alma gémea, é necessário que cada um trabalhe para o seu crescimento individual. Só então é que terá o mérito de encontrar a sua alma gémea.

Por esse motivo são necessários os casamentos entre pessoas que não são almas gémeas, e são muitos os aspectos pelos quais os parceiros podem ser necessários um ao outro, até que chegue o momento apropriado para a reunião com a alma gémea. Podemos até ter um bom casamento, termos bons filhos, sermos felizes nesse relacionamento, sem significar que este seja o encontro com nossa alma gémea.

Em geral, almas gémeas são pessoas bastante diferentes, com educações diferentes, e dificilmente são pessoas que se conhecem desde pequenas. Normalmente, são pessoas que viveram distantes uma da outra, ou até próximas, mas sem se conhecerem até ao momento do encontro. Geralmente são aqueles relacionamentos que parecem impossíveis de dar certo, e muitas vezes enfrentam grandes dificuldades para poderem ficar juntos.

Mas apesar das diferenças, gostos e necessidades, existem grandes semelhanças e afinidades em termos de ideologias e objectivos de vida. Há entre eles uma habilidade quase telepática, que é a pista mais evidente de que se tratam de almas gémeas.

Entretanto, a união entre almas gémeas não significa que seja perfeita, que não haja problemas a serem enfrentados. Mais do que a plenitude, o encontro das almas gémeas ocorre por uma causa maior, por isso esse encontro é tão necessário e poderoso.

"Brian Weiss"