Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

Hoje escrevo para vocês. Escrevo porque quero agradecer tudo o que têm feito por mim, todos os conselhos que me têm dado, e toda a paciência que têm tido para me aturar.

Hoje, quero-vos agradecer aqui, por me aceitarem como eu sou, com todas as minhas qualidades e defeitos.

Hoje agradeço-vos por rirem comigo quando eu estou feliz, por chorarem comigo quando eu estou triste, por me animarem quando as coisas me correm menos bem, e por torcerem por mim.

Hoje, aqui, agradeço-vos por serem como são, por me darem sem cobrar nada em troca, por serem sinceros e dizerem-me quando eu estou errado sem me julgarem por isso.

Por me apoiarem nas minhas escolhas, por me ajudarem a escolher qual o caminho certo que devo seguir, deixando-me no entanto tomar as minhas próprias decisões, e se por acaso eu decidir mal, eu sei que vocês estão aqui comigo para me ajudarem a voltar atrás e a escolher outro caminho.

Hoje, digo que gosto muito de todos vocês, e embora tente pôr por palavras tudo o que vos quero dizer, não o consigo fazer, e o motivo é só um, não existem palavras suficientemente fortes para descrever todo o carinho, e toda a amizade que tenho por vocês. Obrigado por serem como são, e por serem meus amigos.

Sim, porque este texto é para vocês...

A todos eu desejo um bom ano de 2005, com tudo de bom, porque vocês merecem


Happy New Year!!!

O gostar e o carinho surgiu quando nós menos esperávamos...
Começou com uma troca de olhares...
Nas menores coisas, no dia em que pela primeira vez fizemos confidências ou nos ajudamos quando precisamos um do outro...
Ou até quando, mesmo sem palavras cada um de nós sabia o que o outro sentia.
Claro, que existia a resistência em sentir, em crer no que se estava a sentir, mas estava dentro de nós, isso é um facto...
Carinho é um sentimento feliz... que fica no coração por toda a vida.
Gostar é o que eu sinto por ti, ontem, hoje, e espero continuar a sentir amanhã.


Desejo, quero, sinto e busco...

O teu calor...
Os teus carinhos...
O teu cheiro...
O teu beijo...
O teu sorriso...
A tua boca...
O teu olhar...
As tuas mãos...
A tua voz pertinho da minha...

"As nossas dúvidas são traidoras, e fazem-nos perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar"

Rir é arriscar-me a parecer louco. Chorar é arriscar-me a parecer sentimental. Estender a minha mão é arriscar-me a envolver-me.

Expor os meus sentimentos é arriscar-me a expor o meu "eu" verdadeiro. Expor as minhas ideias e sonhos em público é arriscar-me a perder. Viver é arriscar-me a morrer.

Ter esperança é arriscar-me a sofrer decepções. Tentar é arriscar-me a falhar. Mas eu preciso correr estes riscos.

Porque o maior azar da minha vida será não arriscar nada... Se não arriscar, nada farei, e nada serei. Poderia estar a evitar o sofrimento e a tristeza, mas assim não poderia aprender, sentir, crescer, mudar, amar, e viver...

Acorrentado às minhas atitudes, seria escravo, abriria mão da minha liberdade. Só se arriscar serei livre... Arriscar-me é perder o pé por algum tempo. Não me arriscar é perder a vida...

Preciso de alguém... Que me olhe nos olhos quando falo. Que ouça as minhas tristezas e neuroses com paciência, e ainda que não compreenda, respeite os meus sentimentos.

Preciso de alguém, que venha lutar ao meu lado sem precisar ser obrigada, alguém amiga o suficiente para me dizer as verdades que não quero ouvir, mesmo sabendo que posso odiá-la por isso.

Neste mundo de cépticos, preciso de alguém que acredite, nessa coisa misteriosa, desacreditada, quase impossível: a amizade. Que teime em ser leal, simples e justa, que não vá embora se algum dia a vida não me correr bem e eu não for mais a sensação da festa. Preciso de uma amiga que receba com gratidão o meu auxílio, a minha mão estendida. Mesmo que isto seja muito pouco para as suas necessidades.

Preciso de uma amiga que também seja companheira, nas farras, nas guerras e alegrias, e que no meio da tempestade, grite em coro comigo: "Nós ainda nos vamos rir muito disto tudo"... e ria muito.

Não pude escolher aqueles que me trouxeram ao mundo, mas posso escolher as minhas amigas. E nessa busca empenho a minha própria alma pois, com uma amizade verdadeira, a vida torna-se mais simples, mais rica e mais bela...

Desejo a todos os Amigos que me têm acompanhado ao longo destes meses
Um Feliz Natal
Com muito Amor e Carinho

Há certas horas em que não preciso de um amor. Não preciso de uma paixão desmedida. Não preciso de beijos na boca, nem de um corpo para encontrar na maciez da minha cama.

Há certas horas em que só quero a mão no ombro, o abraço apertado ou mesmo o estar ali quietinho ao lado sem nada dizer.

Há certas horas, quando sinto que estou para chorar, que desejo uma presença amiga, para me ouvir pacientemente, para brincar comigo, para me fazer sorrir. Alguém que ria das minhas piadas sem graça, que ache as minhas tristezas as maiores do mundo, que me faça elogios sem fim... e que apesar de todas as mentiras úteis me seja de uma sinceridade inquestionável.

Que me mande calar a boca ou me evite um gesto impensado, alguém que me possa dizer: Acho que tu estás errado, mas estou ao teu lado. Ou apenas alguém que me diga, sou tua amiga... estou aqui!!!

Acho que um amor também deve ser assim, antes de mais nada, companheiro, cúmplice, amigo. Um amor deve saber a ocasião certa para se amar e também para se ser companheiro. Saber ouvir, e saber falar. Porque a alma humana é cheia de mistérios e quem sabe decifrar estes mistérios com certeza sabe amar.

E tu sabes ???

Apesar da paixão ser um sentimento inferior ao amor, a sua força e a sua energia são os grandes responsáveis por nos movermos além dos nossos limites, por avançarmos sobre os desafios e obstáculos.

Quando estamos apaixonados fazemos coisas que a própria razão duvida. Isso nós já devemos saber ou lembrarmo-nos bem...

A paixão tem a ver com a realização pessoal. Nós imaginámos que alguém representa a materialização dos nossos sonhos e anseios mais íntimos, e transformámos a conquista dessa pessoa numa obsessão. Não é à toa que dizemos que quando estamos apaixonados vamos mais longe, e alcançámos mais. O perigo é a cegueira que a paixão nos trás.

Por isso, a paixão é fundamental no início da conquista. Mas, para manter as nossas conquistas, nós precisámos evoluir os nossos sentimentos para o amor. A paixão leva-nos à conquista mas não a mantém. O amor sim. A paixão é efêmera, impulsiva, e obsessiva. Já o amor é prudente, constante, perseverante, compreensivo, e altruísta.

Portanto para conquistar temos que nos APAIXONAR, e para manter as nossas conquistas temos que AMAR!!! Vou encontrar em mim os meus maiores anseios e sonhos e procurar de que forma posso materializá-los. Quando os descobrir, vou desejá-los ardentemente, apaixonadamente...

E vocês,conseguem ver diferenças entre a Paixão e o Amor?
Gostam mais de viver uma Paixão, ou um Amor?

O amor não se vê nos "grandes" gestos, nas grandes atitudes corajosas na defesa de quem amamos, nem nas demonstrações excessivas e exageradas de carinho.

O amor muitas vezes expressa-se em atitudes julgadas por nós "pequenas" como por exemplo: distanciarmo-nos quando percebemos que o passo seguinte precisa ser dado pela própria pessoa que amamos, e desejar que o melhor lhe aconteça, ainda que esse melhor signifique a dor para nós. Acalmarmo-nos quando o desespero de quem amamos se expressa diante de nós e abraçá-lo quando nos dirige palavras que nos magoam.

Dirão vocês que atitudes como estas são de submissão, de ignorância e de uma "simplicidade" muito grande, própria daqueles que não têm amor próprio. Ah que engano!!! São atitudes e sentimentos de que somente grandes almas são capazes. Que exigem uma abnegação que não é por se ser instruído, polído ou culto que se terá.

"Pequenas" atitudes, se avaliadas por medidas também pequenas, e vistas de um ponto de vista ainda menor. Mas... "grandes" e dignas atitudes, se forem avaliadas pelo prisma da grandeza da alma e se forem vistas com os olhos do amor!!!!

E para vocês, o que são "pequenas" e "grandes" atitudes de amor?

Só porque me beijaste e sentiste o perfume dos meus longos cabelos molhados. Só porque me apertaste contra o teu peito, e sentiste todo o calor da minha alma e deixaste o meu corpo a arder...

Só porque provaste do meu mel, e enlouqueceste de tanto prazer. Só porque fizeste dos meus seios o alvo dos teus lábios, e da minha pele a ternura que te abraça...

Só porque me tiveste inteira, inteirinha, percorreste todos os meus caminhos, e penetraste fundo nas minhas entranhas até desfaleceres de tanto gozo...

Só porque dormiste nos meus braços, e sonhaste com a deusa do amor a embalar a tua alma de criança...

Só por isso, pensas que sou tua? Pensas... Pensas...

Já é tarde, lamento dizer-te mas agora é tarde. Foi tanto o que eu sofri a lutar pelo nosso amor, que quase destrui a minha ilusão. Preciso descansar o meu coração.

Já é tarde não te amo mais. Já é tarde, não fales alto, não sejas covarde, inventa o que quiseres, mas eu já não sou mais teu.

Será que é tão difícil de acreditares? Cansei-me de te entender e perdoar. Já é tarde não te amo mais. No dia em que te voltar a ver eu sei que o meu corpo vai estremecer, mas mais uma vez tu vais magoar-me, e destruir os meus sonhos.

Já é tarde, não dá nem para falar em amizade, procura ser feliz da maneira que tu puderes, não queiras por favor saber mais de mim, segue a tua vida e deixa-me em paz. Já é tarde, não te quero mais.


- Å®t Øf £övë : Desculpa, não está a correr bem, pois não?

- Dä®k Añgë£ : Lá vamos nós... Diz!!! Diz o que vais dizer.

- Å®t Øf £övë : Acho que um de nós devia mudar-se.

- Dä®k Añgë£ : Eu também acho.

- Å®t Øf £övë : Lamento.

- Dä®k Añgë£: Lamentas o quê?

- Å®t Øf £övë : Lamento que não tenha corrido bem... Preciso de algum tempo.

- Dä®k Añgë£ : Que diabo quer isso dizer? Começaste cheio de força e acabas como um fraco... Desistes...

- Å®t Øf £övë : É o que estou a fazer.

- Dä®k Añgë£ : Vamos lá ver a tua cara... Importas-te que eu acenda a luz? Acho que já estivemos muito tempo no escuro... Sei porque é que me vou embora... O que foi que te fez arrefecer? A mudança radical na tua vida? Ou receias que possa aparecer alguém melhor enquanto estás comigo?

- Å®t Øf £övë : Porque é que não podes ver as coisas como são? Nem mais nem menos.

- Dä®k Añgë£ : E como é isso? Duas pessoas comprometidas a dormir juntas até se fartarem uma da outra?

- Å®t Øf £övë : Não quero casamento. Não quero filhos. Não quero compromissos. Não estou feliz. Já não te amo.

- Dä®k Añgë£ : Optimo. Vou-me embora. Acabou. Podes voltar a fazer o que queres, com quem quiseres, e onde quiseres.

- Å®t Øf £övë : Sais daqui a saber uma coisa. Nunca te enganei.

- Dä®k Añgë£ : Mereces uma medalha. Não sabia que era assim tão grande o sacrifício.


Sou escravo da razão.
Não posso seguir meu coração !!!

O coração diz: sim
A razão diz: não

O coração diz: quero-te
A razão diz: não posso querer-te

O coração diz: amo-te
A razão diz: tenho que te esquecer

O coração diz: desejo-te
A razão diz: não posso desejar-te

O coração diz: vem para mim
A razão diz: acaba com isso

O coração diz: é paixão
A razão diz: é ilusão

O coração diz: sou teu
A razão diz: é uma loucura

O coração diz: eu posso
A razão diz: foge

Então eu pergunto-vos: Quem seguir?
O coração ou a razão?
Esta é a dúvida da minha aflição...