Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

Às vezes ponho-me a pensar na situação emocional dos nossos dias. Passamos por uma "revolução" em termos de relacionamentos.

A grande maioria deles perdeu completamente o sentido e o encanto. Hoje em dia, é muito difícil encontrar alguém interessante, com quem seja possível identificarmo-nos e com quem se possa sair sem "segundas intenções".

Sou um pouco antiquado? Talvez... Não sou do género de pessoa que goste de ficar com uma por noite, ou que acredite que o melhor sexo da minha vida possa ser realizado com alguém que acabei de conhecer. Não é impossível de acontecer, mas acho pouco provável. Para mim, por mais estranho que possa parecer, o sexo está intimamente ligado ao amor... ao carinho... ao afecto.

Hoje em dia, as mulheres têm mais liberdade para sair e se divertirem do que há alguns anos atrás. Elas descobriram o "poder" que possuem nas mãos e passaram a usá-lo. Onde eu quero chegar com tudo isto?

Directamente no seguinte ponto: Há alguns anos atrás, as pessoas estavam juntas, mas não tinham sexo na primeira noite. Se o faziam, era numa proporção muito pequena. Actualmente, é difícil isso não acontecer. E o que tem isso?

A princípio... nada. Apenas a banalização de algo que deveria acontecer em níveis mais profundos, menos associados a necessidades básicas. Vejo que as pessoas perderam os seus limites. Não sabem mais distinguir o "certo" do "errado". Não é que exista isso quando se fala de sentimentos, mas eu acredito que não há nada melhor do que viver uma fase de cada vez. Sair... conhecer... namorar... casar... e cada vez menos, eu vejo isto acontecer. Olho para os lados e procuro alguém que pense como eu. Não encontro muitas pessoas!!!

São raras as pessoas que pensam assim. Assustadoramente, o número de mulheres com pensamentos semelhantes a estes diminui cada dia que passa. Elas tornaram-se "homens" à procura de diversão. Sexo sem compromisso... sexo pelo sexo... Não vou ser hipócrita ao ponto de afirmar que só fiz sexo até hoje com pessoas que amei. Mas, existe coisa melhor do que praticar sexo com alguém que se ama? Sentir a intimidade... a pulsação... o conhecimento da outra pessoa? Literalmente... "fazer amor"?

Nada substitui esse prazer... o de sentir alguma coisa mais do que excitação pela pessoa com quem se está. O encontro dos corpos... o enlace das bocas... a reunião das almas. Eu vejo que as pessoas já se esqueceram de como é importante isso. Banalizam os sentimentos... os desejos... os sonhos. Às vezes, eu pergunto a mim mesmo onde isto tudo vai parar.

O que eu penso sobre isto é que vai chegar um momento em que não se vai poder ir mais além do que já se foi... o limite. Nessa altura, a tendência vai ser a de voltar às coisas que foram abandonadas... esquecidas. Flores... jantares... cinema... dançar... andar de mãos dadas...

Para alguns, essas coisas entraram em desuso. Foram para o esquecimento. Não quero generalizar. Sei que existem pessoas que não pensam assim. O problema é que essas pessoas são cada vez menos. Não vou dizer que eu é que estou certo e o resto está errado. Esta é apenas a minha opinião sobre o assunto.


E vocês, o que pensam sobre este assunto?

53 Comments:

  1. Elsa said...
    Em parte concordo contigo, sim, há cada vez mais pessoas à procura do prazer pelo prazer. Ou... do prazer sem compromisso...
    Parece-me que isso acontece porque nos dias que correm é tudo demasiado fácil. E isso vê-se também, pela quantidade de casais que se casam e no 1º ou 2º ano já estão divorciados.
    As relações pessoais estão cada vez mais deterioradas...
    Apesar de ser um tema polémico, acredito Å®t que não deves ser só tu a pensar assim...
    muitos não terão é a coragem de o afirmar...
    beijos
    Dä®k Añgë£ said...
    Por isso amor é que eu me apaixonei por ti... por pensar como tu.
    Beijos
    lazuli said...
    Cada vez me surpreendes mais, Art. A mulher foi um ser submisso e obediente ao longo da história, só conseguiu ser cidadã com as sufragistas, e desde a idade da pedra lascada que andou a reboque do homem, puxada pelos cabelos..quando os tinha, é claro.
    Com o chamado liberalismo..ou lá o que é..começou a ser "igual" ao homem, começou..digo eu..porque se reparares bem, as coisas não estão no mesmo plano, muito longe disso. É certo que há essa revolução dos sentimentos, mas isso é vivido a dois, não é "culpa" de um ou de outro. A diferença é que agora..têm que ser dois a decidir pelo jantar romântico, pelas velas, etc..
    Dantes havia a doce criatura submissa, romãntica, aspirando pelo seu cavaleiro andante. Hoje, ele tem que se esforçar também por encontrar a sua cavaleira andante, ou seja..ambos devem estar no mesmo plano. Portanto, a meu ver..
    a tua nostalgia tem razão de ser e a evolução dos relacionamentos é um "bem comum", será o que o Homem quiser. Um beijo**
    Lis57 said...
    Querido Art

    Este teu texto não poderia descrever melhor o quanto é dificil nos tempos de hoje termos relacionamentos sem estar implicada a palavra sexo.Infelizmente é quse ompossivel haver uma amizade entre um homem e uma mulher sem que na mente de um deles esteja o sexo implicito. Lamento que os relacionamentos entre as pessoas se tenham tornado tao banais.
    Talvez, por isso mesmo, haja tão poucas amizades verdadiras entre sexos opostos e os casamentos durem tão pouco. Já ninguém cultiva nenhum afecto. As pessoas tornaram-se egoistas e apenas pensam no seu próprio prazer, pouco se importando se com um acto impensado, mas que lhes dá prazer, podem estragar uma vida.
    Continua assim Art, fiel aos teus afectos e relacionamentos, nunca permitas que os teus afectos e relacionamentos sejam detiorados

    Boa semana
    Beijinhos
    Salatia said...
    Concordo com o que dizes...para mim o sexo tem a ver com amor, ternura...no fundo uma ligação especial com outra pessoa. também sinto que se banalizaram certos gestos, mas acredito que há ainda mtas pessoas a pensarem desta forma...uma excelente semana.
    Wakewinha said...
    E não é que eu estava mesmo a pensar nisso quando abri o teu blog? Que estranha coincidência...

    Eu não tenho muito mais a dizer, já disseste tudo! Mas posso também aproveitar para lamentar a perda de valores a que se tem vindo a assistir!

    De qualquer modo, antigamente não era tudo um mar de rosas: muitas relações eram mantidas sob fachada, apenas pela necessidade de não desiludir a sociedade! Por isto, também não teria gostado de viver by the time! ;)

    Beijinho e boa semana*
    TMara said...
    se nunca aderi a este modo,penso k é por uma questão geracional/cultural. penso k é uma mudança em paridade e k pode evoluir bem a partir daí.Pq os H. k pensem e...pratiquem, como expões, devem ser aves raras (ao longo dos séc.)enqt k à mulher exigia-se, e ainda hoje nos países de religiaõ islâmica, uma dependência e anulação total enqt seres - até a sua sexualidade tem k ser anulada e cá era quase igual, não por leis mas por normas e pressão social. Esta mudança creio k é saudável e a partir daqui o equilíbrio entre paresserá encontrado com a vantagem de k cada um ´tem a liberdade de optar por um modelo, chamemos-lhe mais conservador e outros, + libertário quer sejam H ou M. Não está no meu campo de pensamento cíticar-te, mas há uma questão latente: se penas o k dizes com uma certa dor exposta pq fazes tmb desse sexo ocasional? Há k ser coerentes com o penasmento....Não achas? Boa semana. bjs e ;)
    Dulcineia said...
    Ora aqui está uma reflexão ACTUAL.Efectivamente,há cada vez menos pessoas a saber distinguir o que é sexo e o que é fazer amor.Uma questão e outra parecem realmente ter caído na banalização.E hoje o grande tema é mesmo saber quem foi o vitorioso por te conseguido comer A e B.E isto também se aplica a elas...Por mim,continuo a preservar o AMOR no verdadeiro sentido da palavra e a volorizar os tais gestos de fraternidade que dizes estarem em desuso.Felizmente ,posso orgulhar-me de ter bons amigos que sabem cultivar AFECTOS.O tema dava pano para mangas..Quem sabe um dia podemos discuti-lo numa qualquer esplanada.FICA BEM ART
    Raquel Vasconcelos said...
    Não acredito que seja o que for tenha entrado em desuso... Acredito sim que as pessoas (mulheres) se cansaram de virar a cara e fazer de conta que a maior parte deles não é "isso" que quer...
    A frieza instalou-se e cada vez mais nos vamos tornando de pedra, com vontade de deixar de ter sentimentos...
    Para quê...? Afinal de que nos servem os sentimentos, quando meio mundo além de enganar as finaças engana o amor, o carinho...
    O que "chateia" os homens, é q antes era fácil... tinham as mulheres classificadas. Escolhiam-nas segundo os interesses do momento. Hoje é para "asneirar", hoje quero uma para casar...
    Cada vez mais homens diz que o que deseja é carinho. Cada vez acredito menos. O que se passa é q o que para eles era uma noite... para a mulher não, e elas eram carinhosas... e agora retribuem da mesma forma, com frieza.... e o homem vê-se numa ilha deserta de carinho. Tem o retorno do que semeou.
    Pareço fria? Talvez... Apesar de tudo a quantidade de mulheres que continua a saber amar, suplanta largamente a quantidade de homens que imagina que o sabe.

    ------------------------
    O amor é um dos melhores sentiments do mundo... e o ser humano diverte-se a matá-lo.
    Vampiria said...
    Art muito basicamnete, pensas assim porque amas, ninguem que ame vai pensar ao contrario... eu amo, penso como tu. Nao digo que se nao amasse nao pensasse assim, mas que te dirao quem nao tem ninguem ha mt tmp? Nos somos animais e isto é mm aszsim, ficas com galta de afecto e passas para os sexo, é simples!
    Mas eu penso como tu!
    Beijos
    Maria said...
    Concordo, infelizmente hoje em dia o sexo serve para que as pessoas se utilizem umas ás outras. Para mim Sexo sem carinho, sem ter o sentimento de gostar, não serve nem dá vontade. Só consigo ter sexo se for misturado com amor. Sexo por sexo que está na moda, nos tempos que correm, não me agrada.
    Uma boa semana
    beijos
    Micas said...
    O amor é como um templo, sublime. Tb concordo que a maioria hoje em dia banaliza os sentimentos e sentires, mas ainda bem que continuam a haver pessoas que sabem o verdadeiro sabor do prazer de fazer amor e não apenas o de ter sexo com alguém. Bjs e boa semana
    mfc said...
    Concordo contigo em que a banalização do sexo, não pode levar-nos a bom porto!
    É claro que também já tive sexo sem amor... mas foi apenas um episódio.
    Gostei do modo como defendeste o teu pensamento.
    Anonymous said...
    Concordo com teu ponto de vista a respeito da banalização dos sentimentos e, creio que você está entre aqueles poucos que ainda acreditam que isso pode se modificar. Mulheres foram submissas por muitos séculos e, como alguém bem comentou antes, ainda são em certas culturas. Acho que confundiu-se liberdade com libertinagem, porém, também creio que pode haver um recuo nesse padrão de comportamento. Assim, penso que com o tempo mais e mais pessoas também chegarão às tuas mesmas conclusões, querido Art. Tenha uma linda semana. Beijos de
    ~~Nuvem~~
    http://www.nuvensquepassam.blogger.com.br
    Anonymous said...
    Sou uma romântica inveterada...não passa,adoro dar e receber mimos,fazer surpresas,abraços,colo,jantares á luz da vela,comemorações de nada ou...de tudo,trocar as voltas ao tempo,perder-me...talvez por isso não seja fácil apaixonar-me,amoi pouco,sempre por inteiro...sexo só com muito amor,sem dúvida,tenho a certeza...o meu casamento acabou no dia em que quando abri os olhos e senti um vazio horrível ...nunca mais consigo acordar aqui!
    Há muitas mulheres que sentem assim,nem todas são capazes de perder a pele,doi,mas não é coaragem,em mim é incapacidade,não consigo ser de outra forma,definho,morro!
    Eu acho que nunca escrevi isto,já o disse,sou absolutamente incapaz de fingir!
    beijo
    girassol
    Su said...
    concordo com o que dizes/escreves/sentes pq acho q tudo o que todos querem é amar...
    e há muita gente a pensar assim...
    mas concordo tb com o que foi dito pela vampirinha

    jocas maradas
    Maria Carvalho said...
    Obrigada pelo comentário no meu blog. Primeiro não li nenhum dos comentários que aqui foi feito, para te poder dar a minha opinião logo a seguir à leitura da tua reflexão. Existem 2 coisas que eu quero dizer : uma resume-se ao facto de o sexo masculino, na sua maioria querer fazer sexo pelo sexo, e portanto está na hora de nós, mulheres embarcarmos no mesmo! Coisa que eles detestam...uma espécie de sexo com sexo se paga!!! A outra, para mim muito mais importante, é a de que se pode amar incondicionalmente alguém sem haver sexo! Mais difícil de acontecer??!! Talvez...mas acontece, e é tão mais doloroso se um dia acaba!! Não sei se me expliquei bem porque estou super cansada das aulas, mas penso que sim. Beijos para ti, meu querido...
    ♥≈Nღdir≈♥ said...
    Art,
    também eu penso como tu, e espero que mais pensem assim.
    Há pequenas coisas que fazem a magia do momento a dois, e essas pequenas coisas, tal como andar de mãos dadas, cada vez se valorizam menos, uma pena...
    Pequenas coisas que fazem a grande diferença...
    Bjs
    Desconhecida said...
    Vivemos no limite...parece que temos de viver tudo já...de repente...
    Até as crianças de hoje, querem viver tudo no mesmo dia!
    Anonymous said...
    A vida nos dias de hoje parece que é vivida com o frenesim de que o dia pode acabar amanhã e situações como as de namorar, passear e tudo mais fazem parte do passado. hoje vive-se a pensar no amanhã, e amanhã já cá podemos não estar...e há que aproveitar cada minuto da vida que vamos tendo. no entanto eu não concordo com esta forma de viver eu dou valor a sentimentos eu dou valor as pessoas e talvez por isso sofra um pouco, mas sou eu que sou assim e não quero mudar. estar com alguém só por estar não faz parte do meu vocabulário, enquanto eu existir tudo farei para que cada dia seja vivido com a dignidade que lhe é merecido.

    bjs
    junior
    paulo said...
    Caro amigo este assunto é deveras angustiante. O sexo é bom e gratificante é tudo do melhor e se tiver paixão melhor.
    O sexo faz-se por varios motivos, eu não vejo mal nenhum em que uma mulher tenha relações sexuais só por ter, há dia assim.
    Chamar banal ao sexo por sexo não sou dessa opinião.

    Isto é a minha opinião e não é por ser homem que vão logo dizer " ah é homem" porque nas mulheres passa-se o mesmo.

    Já para já para haver sexo tem que haver algum encanto pela a outra pessoa.

    um abraço de amizade.
    paulo
    Carmem L Vilanova said...
    Concordo contigo em pleno, amigo!
    Vê que dizes que é difícil encontrar alguém que comparta de tuas idéias mas encontrastes uma aqui, que pensa tal e qual!
    Sou uma pessoa incapaz de acreditar que o prazer do sexo possa superar o prazer do amor sentido verdadeiramente e com carinho e nós sabemos que isso só pode acontecer com o tempo, à medida que um conhece o outro... Neste sentido, se isso é ser antiquada, sou antiquada sim, e pretendo permanecer assim por muitos e muitos anos... :o)
    Um grande beijo para ti, querido amigo!
    terragel said...
    ART, se nós tivessemos combinado talvez não faríamos dois textos tão parecidos. A idéia central é a mesma, o sentimento sobre sobre o impácto que isso causará futuramente é o mesmo, o que ficou diferente foi somente o jogo de palavras. Como vc disse, parece transmissão de pensamentos, que na linguagem popular aqui no Brasil, seria transmimento de pensassão. A minha grande preocupação com este estilo de relacionamento é a manuteção da base educacional que é a própria família, a não ser que daqui a 100 anos apareça outro modo de educar as crianças, para serem homens e mulheres equilibrados, moralmente bem formados.............
    Art, qualquer dia desses vamos fazer uma matéria juntos e postar conjuntamente, lá e cá.
    Obrigado pela visita e boa semana
    Um Abraço
    Renatinha said...
    concordo totalmente contigo, hj as pessoas ñ procuram mais um sentimento verdadeiro, mas sim, pensam primeiramente no sexo, talvez isso faça com que mais nós nos afastemos , tomara que tudo volte a ser como antes só então o mundo será melhor!! beijo e uma semana linda
    menina said...
    "Elas descobriram o "poder" que possuem nas mãos e passaram a usá-lo.", eu tenho um amigo que costuma dizer que homens e mulheres querem o mesmo... algumas é que não têm coragem para o admitir. E ás vezes sou obrigada a concordar com ele...
    Não sei se é um poder padrinho, mas houve alguém que disse aqui num comentário que os homens não gostam disso, e talvez também tenha razão.
    A única coisa que eu tenho pena é que hoje em dia, (e isso sim seja mais preocupante ainda) não sejam só as mulheres a querer sexo por sexo, e sim as meninas... sem idade sequer para pensar nisso a sério...
    E isso sim é MUITO preocupante!
    beijos
    Cristina said...
    Olá Art,
    Eu acho que sou muito antiquada nesse aspecto. Acho que o sexo tem sim a ver com o amor, assim como o prazer, mas não conseguiria ter prazer sem pelo menos haver um pouco de amor
    :)
    lindo texto
    beijinhu
    :)
    Neith said...
    Sou demasiado romântica...não tenho cura mesmo. Sexo para mim tem que ser sinal de amor - que coisa melhor haverá que fazer amor.Dificil explicar, apenas sei o que sinto. Beijinhos
    inconfidente said...
    Êta tema complicado.
    Por um lado estão-se a perder certos valores, mas por outro está-se a avançar para uma sociedade com menos tabús em que cada vez mais o sexo é vivido de forma diferente e pelo gosto pelo próprio sexo, aquele click, aquele prazer carnal, aquela atracção fatal, que são posssíveis na primeira noite e sem amor.
    Menina_marota said...
    Um tema muito interessante. E muito discutível.

    Fazer amor é uma forma completa de demonstrar aquilo que o nosso corpo sente, aliado aos nossos sentimentos.

    A verdade é que eu considero que nunca fiz sexo por sexo.

    Porque na minha forma de ser, só consigo intimidades, com alguém por quem realmente tenha um sentimento de tal forma forte, que me faça desejá-lo e possuí-lo.

    E é uma entrega conjunta de sentimentos e desejos.

    Penso que haverá ainda muita gente que pensa como tu e eu, porque o amor para ser mantido, necessita de cuidados, de pequenos nadas, que conduzem a muito!

    Gostei do teu texto, mesmo muito!

    (agora queria pedir-te um favor, já que vi ali a Dulcineia: no outro vosso Blog, não consigo comentar, diz que eu não estou registada, mas eu entro com o meu nick habitual. Poderás dizer-lhe isso? Obrigada)

    Um abraço ;)
    Daniel Aladiah said...
    Caro Art of Love
    Assino por baixo o teu texto. Quero lá saber do antiquado... :)
    Um abraço
    Daniel
    aware said...
    Obrigada pela visita...são tão raras'de onde eu venho'.Aqui estas rodeado de muita gente,com boas opiniões ainda por cima.Escreves sobre um assunto que está na na cabeça do mundo,o subconsciente colectivo.Daí que falar sobre isso faça muito sentido para muita gente.Tenho um amigo que me disse no outro dia 'vivemos na era do descompromisso'...acho que infelizmente essa é a realidade presente.Há uns tempos atráz perguntava-me se alguém ainda se apaixona...parecia-me tudo tão artificial,tudo tão gasto.Vivo uma solidão virtualmente intocada desde que nasci e já estive mais longe de acreditar que existe amor...mesmo que seja quase impossivel de definir ou capturar.No quotidiano,na rua,nos relacionamentos diarios custa-me ver que a coesão de grupo quase não existe,que 'os amantes' são uma expressão banal.Quem me dera que o mundo valorizasse mais o tesouro que são as relações humanas...para alguém aparte amar o mundo assim,parece mentira.Mas amo:)...obrigada pela vizita
    Ana Luísa said...
    Concordo contigo. Não acho que esteja certo ou errado. Cada um vive a sua vida como bem entende. No entanto, também me faz "confusão" esta "leveza" e rapidez nas relações... E para além disso, também há quem tenha uma relação estável e ande "entusiasmado(a)" com outras pessoas! Como é isto possível? Onde está o Amor?...
    E estou como tu, para mim uma relação é baseada no amor, na amizade e na cumplicidade... "comer e deitar fora" não é comigo...
    bjkas
    Liliane said...
    o amor virou mercadoria, perdeu o siginificado, é cada um por si...
    bjos
    nhonhuquinha@gmail.com said...
    Tenho que concordar contigo sobre a degradacao da civilizacao no que diz respeito a relacoes. Agora nao concordo que isto tenha a ver com a liberalizacao da mulher. Os homens sempre puderem fazer o que bem lhes apetece. Quantas mais mulheres mais invejados sao, se nao vao a strip clubs nao sao homens, etc..... qual e o problema se as mulheres comecarem a agir como homens (como tu segeres?)
    Embora concorde contigo que hoje em dia as pessoas substituem sexo por amor, a culpa nao e das mulheres. Eh tanto das mulheres como dos homens, a culpa e da sociedade, dos media, da deteriorizacao dos valores morais. E isso nao podes negar comecou com os homens ha muitissimos seculos atraz, afinal a prostituicao e a profissao mais antiga do mundo, e honestamente nao acho que se nao ouvesse procura de prostitutas a prostituicao nao se teria tornado uma escolha de carreira.
    Acho que da maneira como vez as coisas estas a defender um pouco os homens e tas a dizer que as mulheres e que sao responsaveis por manter o romantismo nas relacoes, e por serem fieis, etc....
    Isso nao e verdade, a relacao e a dois, cada pessoa tem que contribuir igualmente, isso e mais que justo.
    so12 said...
    De visita aos velhos amigos para deixar um beijo...um dia eu volto, já esteve mais longe. Gostei de ter estado aqui :))
    Porquê? said...
    Art,
    é bom saber que nos tempos que correm ainda existem homens que pensam como tu. Não, não acho que sejas antiquado, acho que és um verdadeiro apaixonado!
    Como mulher, sempre quis viver uma relação dia-a-dia, saboreando cada etapa, cada emoção, cada sensação de ir descobrindo, conhecendo e dando-me a conhecer lentamente. Só assim a relação adquire mais sabor; só assim se vão criando os verdadeiros alicerces para que tudo dê certo.
    Por vezes temo que as pessoas considerem essa minha atitude como uma forma de me "fazer de difícil" mas, na realidade, se alguém pensa assim é porque deseja apenas uns minutos de diversão!!!!
    Admiro os homens que dão essas provas de segurança a uma mulher e, independentemente do desfecho da relação, sempre tive a sorte de encontrar homens assim!
    Um grande beijo
    GNM said...
    Como sempre este teu blog está mais que genial...

    É sempre um prazer visitar o teu cantinho!

    Continua a sorrrir!
    O Micróbio said...
    A questão de fundo é a banalização do amor... porque o sexo nunca foi banalizado, bem pelo contrário, dá-se-lhe sempre mais importância que ao verdadeiro amor!
    taliesin said...
    Bem meu amigo esse é um tema q mexe muito com as pessoas, realmente a maioria vai contra muito do q vc coloca aki, eu concordo com vc , com essa banalização dos sentimentos, sabe as vezes eu vejo q vamos estar como naquele livro Admiravel mundo novo de Aldus Huxley, em q uma sociedade vive e seu tema é ninguem é de ninguem, vc podia fazer sexo com quem quise-se sem a menor constrangemento.
    É assim q nosso sociedade caminha
    Abraços
    elsaaaaa said...
    Entendo e compreendo e até sei que tens razão no que dizes. Não sei apenas se é melhor ou pior, apenas é diferente. Porem creio que ainda há pessoas diferentes, e se há menos do que há uns anos atrás é porque o sistema quase a isso "obriga". Ainda bem que há homens que valorizam a diferença: Ainda bem que há pessoas diferentes, pois somos todos iguais e todos diferentes. E gostos para tudo! Porem deixa-me deixar um à parte, é que por este andamento qualquer dia não há valores e o "simples" prazer vale por tudo!É um pouco contraditório, afinal o prazer é uma boa coisa, mas a todo o preço?!??!? Assim desmedidamente??? Fica bem
    Black Angel said...
    penso como tu, mas já somos raros. sou incapaz de fazer sexo só por fazer, nunca fui para a cama com uma mulher que não amasse, já o contrário não é verdadeiro. já fui usado como "objecto sexual".

    o romance, a corte, as flores, os jantares a dois, a sedução estão em desuso. o one night fuck está muito na moda, as mulheres engatam nas discotecas, sem pudor. estão no direito delas (os homens fazem o mesmo)...but not for me.

    saudações
    Anonymous said...
    ANACANELA**
    CONCORDO! a chave é a INTIMIDADE! o que gosto é a intimidade,o que me excita e me desafia é essa intimidade, descoberta, conquistada, revolucionada, adaptada que seja! nós somos seres que nos adaptamos e se eu antes não gostava de jantares romanticos...agora gosto e é com ele! talvez com outro eu me adapte a gostar de escaladas ás montanhas!! essa será a nossa intimidade!! a intimidade, não é por precisar de tempo e durar no tempo que é monótona ou menos excitante! temos é qu evê-la com olhos de desafio, porque não é qualquer um que entra na nossa intimidade e que consegue ganha-la. pode entrar numa noite na nossa cama, no noso carro, na nossa fantasia, mas na intimidade só entra aquele que traz sentimentos! aquele onde eu semeie sentimentos e agora delicio-me a vê-los florir! e colho essas flores com ele! para mim isso é qu eé excitante, desfiante, é que é o relacionamento que eu procuro! mas hoje em dia parece mas não é tanto assim, relacionamentos fugazes, conheço muita gente a querer estar, querer fica, enroscar e semera! porque todos os sentimentos gostam de partilha! porqu eue gosto de saber quem sou, quem és, que saibas quem sou, que te deixes relacionar! *muito mais tinha para te dizer ART, no essencial, concordo contigo, pôr amor no que se faz!! cozer os relacionamentos com amor, mesmo que se saiba que um dia eles vão descoser, ou rasgar, ou abrir buraquinhos...
    Adryka said...
    Meu querido Arte, acho que cada um é livre de fazer da sua vida o que quer, não concordo porém que se engane uma mulher ou um homem, só para ter o bele prazer de sair com mais um ou uma e curtir, acho que devem os pares ser leais e dar a entender as intensões, se aceitarem e estiverem de acordo ok, nada a opôr .
    Beijinhos amigo
    Doryanne said...
    Eu sou daquelas que pensa como tu...

    Beijos*
    Misty said...
    Art, olá.
    Concordo com quase tudo o que dizes. Porque também estou irremediavelmente apaixonada pelo homem que amo (parece parva esta frase, mas te garanto que não é!), e como tal, é com as "lentes" do amor que te li.Mas não posso de deixar de mencionar o comentário da Vampiria, com a qual concordo, tal como outras opiniões aqui expressadas (a da Raquel, a da Lazuli, que é muito pertinente).
    No que me toca, descobri que sou uma romântica; gostei que nos fossemos descobrindo e deixando o sexo - melhor dito, o fazer amor - para mais tarde. E quando aconteceu, foi...impossível de transcrever para palavras, porque havia mais qualquer coisa que nos unia...essa coisa era amor.

    Mas já fiz sexo sem amor. Mas havia, contudo, uma atracção, havia qq mais, não foi assim, a "frio". E portanto, para além de ser uma romântica, estou a ficar muito old-fashioned...sexo sim, mas só com amor à mistura...é um critério qualitativo!

    Fica bem!

    ---
    Um à parte, fiquei tristinha! Logo na tua 1ª visita ao Sei Lá Eu!? dás de caras com toda a gente lixada por causa do post! Aquilo era um teaser...

    19 Outubro, 2005 18:31
    Espectro #999 said...
    A razão assiste-te com toda a certeza.
    Também sou dessa opinião, mais coisa menos coisa.

    Inté.
    Elise said...
    Não estás só.

    A sociedade ocidental tem vindo a perder alguns valores que enriqueciam as relações.

    No ano passado, enquanto tratava da burocracia para o meu casamento, três casais divorciaram-se. Foi assustador.

    Mas que fazer? se apelarmos à calma, se apelarmos a alguns valores somos logo apelidados de moralistas reprimidos.
    boxexas said...
    Pois é,Art... as relações, hoje em dia, são mesmo muito diferentes das de antigamente. Não penso que as mulheres estejam num pé de igualdade em relação aos homens no que toca ao sexo, mas sem dúvida que conquistaram a sua liberdade e demonstram isso, sendo demasiado facéis e superflúas nos sentimentos. Contudo, sabe-se que as mulheres envolvem-se mais com homens numa mistura de prazer mas também sentimentos, enquanto estes, na sua maioria, apenas o fazem por prazer. Acho que o problema está em ambos os lados, hoje em dia, as pessoas não respeitam os sentimentos alheios, desconhecem o romantismo, nem sabem o que é amar... o prazer, a fugacidade dos relacionamentos, a curiosidade do que é novo, parece ser a lei nos nossos dias. Mas sei que existem pessoas diferentes, que valorizam estas coisas, que se preocupam, que sabem o que é amar e fazer amor... aproveitar os momentos com a pessoa amada. Acredito que também está nas nossas mãos, ensinarmos a estas gerações isso mesmo. Nunca podemos deixar de acreditar, certo? ;-) Beijinhos enormes
    pachita said...
    Art,

    Acho que é a primeira vez que comento este teu blog.

    Fazer sexo, toda a gente faz. Fazer amor é que é 'the real thing'. E eu prefiro um milhão de vezes fazer amor. É uma das razões porque terminei a minha relação. Já não o amava. Custa muito dizer isto, mas foi pelo melhor. Não consigo ser desonesta. Prefiro a frontalidade, mesmo que doa. Porque só assim podemos considerar o outro como uma pessoa com os mesmos direitos que nós. Não valia de nada continuar um relacionamento em que já não havia amor da minha parte. Sei que ele continua apaixonado por mim e lamento muito isso. Preferiria que ele não me amasse. Seria tudo mais fácil. Para te ser franca, até me sinto aliviada por termos terminado. E quase, quase que sou invadida por um sentimento de culpa por causa deste meu alívio.

    Enfim...não consigo fazer amor sem estar apaixonada. E é muito difícil apaixonar-me por alguém. É preciso haver comunhão em tudo, físico, emocional e intelectual.

    Um beijinho grande e desculpa lá o desabafo
    Titá said...
    Sabes porque agora os relacionamentos são o prazer por prazer, são frios e calculistas? Porque poucos são os que têm a tua sensibilidade.
    Parabéns por seres assim.
    Visible Silence said...
    tQuerido Art,
    "...existe coisa melhor do que praticar sexo com alguém que se ama? Sentir a intimidade... a pulsação... o conhecimento da outra pessoa? Literalmente... "fazer amor"?"... NÃO... não existe nada melhor...
    NÃO... não há nada melhor "do que viver uma fase de cada vez. Sair... conhecer... namorar... casar..."
    NÃO... não há nada melhor do que numa relação se viver passo a passo... aliando o desejo sexual a um amor profundo... a mais poderosa excitação fisica, carnal ao mais profundo carinho, ternura...
    Amor e excitação sexual... separados vivem,existem...
    Uni-los... partilha-los... numa mesma relação... é o sonho de todos.
    Mas a "culpa" não é do novo entendimento que as mulheres têm do sexo e da sua vida sexual ou de se terem tornado "homens"... esta atitude feminina só veio tornar mais visível a questão...
    Será normal num homem esse entendimento... de sexo por sexo??? Não... somente se tornou usual e aceite. Mas é tão entendível como se se tratar de uma mulher...
    Eu sou das que gostam de "Flores... jantares... cinema... dançar... andar de mãos dadas"... não me importo que me chamem antiquada...
    Para mim o sexo tem grande importância num relacionamento... num contexto de amor... de "fazer amor"...
    Gosto de homens que pensam... como tu...
    Mil beijinhos de carinho
    mgbon said...
    Subscrevo inteiramente! Existe banalização de um acto de entrega supremo. Só significando amor, ternura e partilha, me faz sentido.
    Estou consciente que é cada vez menos comum encontrar quem sinta e mais quem apreveite!
    trintapermanente said...
    e eu que pensava ser a outsider. todos queremos o mesmo. o problema é que agimos com medo e por isso quando conhecemos alguem já pensamos apartida que nos tempos que correm tudo é diferente e a bota de elastico somos nós, NÃO. não é assim que se passa. e sabes quando tudo vai mudar? quando passares a agira com a TUA naturalidade.

Post a Comment