Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

Saí do escritório à hora de almoço, e como estava um dia cheio de sol, resolvi trocar o almoço por um café numa esplanada à beira-mar. Já na esplanada, de óculos escuros, e com o café na mesa, comecei a aperceber-me da conversa que vinha da mesa do lado...

Eram dois casais que falavam pelos cotovelos... ou pelo menos um dos homens, que para além de não se calar, falava muito alto, e gesticulava. Estava a falar de uma Mafalda qualquer, e repetia vezes sem conta uma das palavras que mais me irritam: "Oiça!", "Oiça!", "Oiça!".

As mulheres que os acompanhavam, simplesmente não falavam, e cheguei a pôr em dúvida se o estariam a ouvir, ou se já estariam a sonhar com uma limpeza de pele, ou aquela camisola que mandaram guardar na loja para o marido pagar. O tal que não se calava, falando da tal Mafalda, diz então: "Que habilitações tem ela para o cargo, não sei, mas toda a gente sabe que ela subiu na horizontal".

Eu já ouvi esta expressão umas centenas de vezes, e para além de me irritar, discordo completamente deste chavão. Porque será que qualquer mulher bonita que chegue a um cargo importante numa empresa, tem de ver a sua honra em dúvida? Porque será que um "começo por baixo" tem de acabar numa "subida na horizontal"? E porque será que nunca se acha que os homens sobem na "horizontal"? Quererá isto dizer que só as mulheres é que usam o sexo para fazerem carreira?

A mim não me parece, até porque conheço muitos homens que se serviram dos seus atributos físicos para alargarem o horizonte na horizontal. Mas na verdade todos eles saem sempre ilesos e sem mácula das suas conquistas, reforçando até a sua prateleira de troféus.

Numa empresa em que trabalhei havia um chefe novo e bonito, que já conhecia os gemidos de quase todas as minhas colegas, e eram elas que tinham o rótulo de "comidas", enquanto ele continuava a ser o jovem bonito e galante que ia preenchendo a estante.

Porque será que nunca ouvi nenhuma delas dizer que o tinha "comido"? Porque será que nunca ninguém duvidou da subida meteórica dele? Terá subido na horizontal?

Depois de todos estes pensamentos e dúvidas, do café tomado, e do corpo aquecido pelo sol, voltei para o trabalho, porque pelo sim pelo não há que garantir a carreira...

4 Comments:

  1. Dulcineia said...
    Olá.
    Vim visitar-vos e deixar beijunhos. Amei este teu texto, Dark.
    Å®t Øf £övë said...
    Dark,
    A minha experiência profissional diz-me que independentemente de serem homens ou mulheres, há por aí muita gente em cargos de chefia sem o mínimo perfil para tal. O que me leva muitas vezes a questionar os processos de selecção que se utilizam, e a ter a forte convicção de que a maioria deles não foram promovidos de uma forma natural... antes pelo contrário, foram resultado de um conjunto de situações favoráveis das quais se podem destacar a antiguidade na empresa, a dedicação exagerada, e que muitas vezes mais do que dedicação é aquilo a que vulgarmente se chama de "lambe botas", que é na minha opinião o factor C do grau académico.
    Por isso perante a forma pouco criteriosa como vejo muita gente ser promovida, para mim torna-se indiferente se o fazem na horizontal ou não.
    Porque afinal o que torna uma subida na horizontal diferente das outras formas de ascensão que mencionei?
    Acho que não deve haver preconceito de forma alguma associado ao facto de haver o envolvimento de sexo neste tipo de promoções, que o torne menos dignificante por causa disso, quando comparado com as promoções que resultam de aspectos como a antiguidade, ou a tal "dedicação" a que eu chamo factor C.
    O facto de serem homens ou mulheres a beneficiarem destes aspectos para serem promovidos torna-se para mim também irrelevante.
    Beijinhos.
    foryou said...
    é o chamado dor da parte que liga o braço ao antebraço.
    Anónimo said...
    Ruela disse...

    Quem não o faz não gosta do seu corpo...é fazer amor consigo próprio...melhor fica preparado para o fazer com os outros...

    mais ou menos isto ;)

    17 Agosto, 2009 12:48

Post a Comment