Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

Despedidas...

Detesto despedidas, embora elas sejam tão triviais quanto qualquer outra coisa. Não gosto pelo simples facto de que a despedida por si só encerra... põe fim.

As despedidas marcam etapas na vida, por menores que elas sejam. Gostaria, sim, de nunca precisar de dizer "tchau" ou "adeus". Gosto sempre mais de dizer um "até logo" ou "até já".

Há despedidas que nos deixam um sabor amargo. Não pelo adeus, que esse nunca é definitivo, sabemo-lo nós, mas pelas palavras que queremos dizer e que ficam presas. E tudo se resume a um instante, um instante que de repente não queríamos que acontecesse.

Será que o mundo precisa de mais vírgulas e menos pontos? É necessário dividir, encerrar e classificar épocas da vida como capítulos de livros? Não sei. Mas gostaria de saber... Como acontece com todas as pessoas importantes da nossa vida, teremos toda a vida para nunca nos despedirmos!

21 Comments:

  1. Pérola said...
    Também não gosto de despedidas. Raramente as faço. Pena que não possa também evitar senti-las.
    Parabens pelo blog.
    Mel said...
    Art, não sei se obrigatoriamente deve ser assim, mas acontece muitas vezes sem que queiramos.
    Geralmente não queremos.
    Outras vezes são despedidas necessárias, fechamentos de ciclos, de épocas como vc mesmo disse.
    Sim... despedidas são doloridas demais.
    Um bom fim de semana pra ti, amigo.
    Bjo, Mel
    aparecida said...
    Olá. Não gosto de despedidas porque deixam um cheiro de saudades. Espero que não se despeça de mim. Obrigado pelo coments em meu blog. Pensei que a gif fosse sua e estavas a reclamar rsrs. Beijo carinhoso e volte mais vezes.
    Ignota said...
    Constantemente nos despedimos, mais que não seja do momento que passou. Porém, creio que os fins não são maus de todo... a não ser que te cinjas ao assunto "pessoas": relativamente a ele, acredito mesmo que o mundo precisa de mais vírgulas e menos pontos, como escreveste. Mas acho que isto passa, por um lado, pela valorização do outro, que acabaste por referir e sublinhar recentemente no post sobre as amizades verdadeiras, por outro lado, pela abertura das pessoas, pela disponibilidade de interacção, pelo sacrifício daquele eu gigante que engole alguns, nomeadamente no que toca ao assunto "perdão".
    Não sei se me faço entender, estou com uma disponibilidade explicativa relativamente reduzida.
    Em relação à cereja no cimo do bolo, como quem diz, às pérolas das últimas palavras finais, boa pergunta: não sei bem. Mas acho que, independentemente de as épocas da vida estarem divididas, encerradas e classificadas como capítulos de livros (ou parecerem estar), a vida será sempre o grande livro, que não faz sentido por um ou outro capítudo em si mesmo, mas pela sequência destes.
    Ai, espero que tenha conseguido mais do que juntar palavras, fazer sentido com elas.

    Boa semana!
    Joana Dalila Santos said...
    Já a imagem... era a despedida ao tecido =P
    luadoceu said...
    Não gosto de despedidas.A mim doeem me.

    Um adeus é por um fim, eu já puz fim somente a pessoas que mereciam e que verifiquei que afinal nãio são tão meus amigos quanto eu pensava que eram ou queriam que fosse.Paciência.Mas Adeus é pôr um fim.Tb sou apologista de um até já e até logo.Ou até um dia,marca sempre esperança.

    Há quatro pessoas na minha visda que eu quero que nunca haja um Adeus...duas delas tenho a certeza que manterei contacto,as outras duas.......é sómente um sonho.......e marcaram me bastante e ainda marcam.

    neste momento Art, não sei s eme lês,é uma etapa nova na minha vida, muito positiva, uma reviravolta muito grande na minha minha que requer que encerre o blog...este blog jamais o esquecerei por muitos motivos, especialmente os bons motivos...

    Art fico somente ate dia 6,depois deixarei o meu blog.Visitas ? Sem promessas, mas um talvez um dia.......

    Obrigada pelas tuas visitas e presença.Tudo de muito bom para ti em tudo.Saude e felicidades.
    Afrodite said...
    "say hello, wave goodbye...."

    E há despedidas que são páginas do nosso livro da vida que se viram. Definitivamente. Relê-las não retira o sentimento de perda.

    Levaste-me a relembrar as minhas; fiquei triste.

    Para ti, o beijo desta "velha" amiga
    foryou said...
    Nunca cheguei a despedir-me realmente de ninguém, até porque bani do meu dicionário a palavra "adeus".
    Aos que partem, aos que apenas partem antes de mim, mantenho-os comigo porque ninguém parte se não deixarmos. Aos que partem mas podem voltar, fico à espera desse dia com um até... Nos momentos em que eu própria poderia partir, bastou-me sempre um obrigada. No momento em que eu própria partir... espero apenas não ter deixado nada importante por fazer e poder ficar sempre naqueles que amo.
    Com ou sem pontuação a vida não começa e termina em cada um de nós, mas em nós nos outros e vice-versa e portanto não se esgota.




    (tu sabes que não gosto de correntes e sabes que não gosto de prémios especialmente quando nem sei são merecidos, mas também sabes que gosto de ti o que torna tudo uma chatice lol Terás o teu post)
    aorta said...
    Eu não gosto de dizer adeus. Prefiro "até já" ou "até logo". Por mim, nunca me despedia de quem gosto. Nunca.
    zm said...
    Não é de olás e adeus de decisões e indecisões que quando tardam tanto custam, de alegrias e tristezas de chegadas e partidas que no momento não conseguimos vislumbrar justificação plausível e que o tempo sábiamente esclarece o sentido?

    Ainda assim, adeus sem ser pronunciado é sempre triste e doloroso...

    Art, um grande abraço.
    Erotic Spirit said...
    Completely agree with you.
    The worst is once we did say goodbye even as things change and we come back around again, things are never the same... there is always that bad taste of a goodbye lingering over. I have some very special friends that came in and out but when they are going they go out of their way to not say goodbye and I love and respect them more for that

    :)
    Claudinha said...
    Muito oportuno teu texto... rs... hoje parte um amigo querido, muito querido... mas volta... por quanto tempo? não sei ainda... para partir em seguida novamente... acho que esses "encontros e despedidas" com meu amigo vão ficar muito monótonos de tanto que acontecerão...rsrsrsrs... mas mesmo assim... dói... nos da medo de que seja "para sempre"... de que as novidades façam com que sejamos apenas lembranças, e não mais constante... de qualquer forma... o amor é o que nos une aos que nos são caros, e esse amor, meus amigos levam consigo, para todos os lugares que estiverem. Beijos pra ti e menos "despedidas", se possível for. rsrs...
    Irene said...
    A despedida é sempre um momento doloroso principalmente se não o desejamos; mas, por vezes, talvez seja necessário para continuarmos em frente. Quando esse momento não se concretiza ficamos suspensos e presos a uma quimera e a uma realidade que pode tornar-se irreal.
    Multiolhares said...
    Na vida tudo é dificil, mas as despedidas deixam sempre dor
    bj
    Fragmentos Culturais said...
    ... um 'desgosto' que temos em comum!
    As despedidas...

    E elas acontecem cada vez com maior frequência!

    '...E tudo se resume a um instante, um instante que de repente não queríamos que acontecesse...' - é o instante mais 'penoso' de nossas vidas. Muitas vezes, difícil de ultrapassar...

    Sensibilizada pelo olhar amistoso em 'fragmentos'!

    Um beijo

    ... longos dias nos cruzámos...
    Laura Branco said...
    Prefiro um até logo invés de uma real despedida. Até breve meu amigo, mesmo que nunca mais te veja. Até breve no meu pensamento. Acho que é nisso que acredito.
    Nogs said...
    Grande foto, Art! Ficou fabulosa neste post.

    quanto a despedidas... Há algumas que doem mais do que permanecer com agulhas no estômago e uma maçã na garganta...

    Uma vez tentei contrariar isso, substituindo um "adeus" provável por um "até já" que se foi sucedendo...

    ... dói na mesma a ausência, independentemente das palavras que uses.

    Beijo doce
    Um Momento said...
    Adeus não digo... não sinto...
    É uma palavra "pesada" que arrasta tristeza... um fim...um vazio...
    Um até já... sempre.
    E como tudo na vida... um até já pode durar uma eternidade mas nunca é um adeus, e como tu também não gosto de despedidas... aliás nem me sei despedir...
    Nunca sei o que fazer quando me "afasto" por algum tempo de alguém que me é querido ... fica sempre a sensação que faltou algo...um olhar, um sorriso, um abraço...

    Um beijo e... até já:)))))))))

    (*)
    Litinha said...
    Despedidas... Também não gosto de despedidas.
    Nada é definitivo... apenas a morte desvincula relacionamentos... tudo, tudo o mais pode ser sempre retomado, basta que queiramos...
    Há pouco tempo “despedi-me” de uma grande amiga com um singelo mas muito sentido “até logo”... e sei, sei que será efectiva e tão somente um “até logo”!...
    Os sentimentos verdadeiros não fecham portas, deixam-nas entreabertas...
    Beijinhos.
    Oliver Pickwick said...
    Não aprecio despedidas, contudo, não chego a detestá-la. Simplesmente ignoro-a. Numa viagem, por exemplo, dou o mesmo tratamento que o de ir comprar pão na padaria da esquina.
    Um abraço!
    Oliver Pickwick said...
    P.S.: A propósito da ilustração, amigo Art, bem que caberia a frase: "meu reino por uma tesoura". ;)

Post a Comment