Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

O fruto do amor é a vida. E é por vivermos num mundo que nega a vida de milhões de pessoas para assegurar o requinte de uns poucos, que somos convocados a fazer das nossas vidas alimentos para que outros tenham vida.

A solidariedade nasce da gratuidade e, portanto, da espiritualidade. Podemos ir em direcção aos outros movidos por ambições de poder, busca vaidosa de reconhecimento e outros impulsos egocêntricos.

O desafio é criar uma cultura de solidariedade capaz de nos impelir misticamente na direcção dos outros, sobretudo dos excluídos, privados involuntária e injustamente dos bens essenciais à sobrevivência e à dignidade humana.

A tarefa que temos pela frente, é saber criar relações sociais solidárias, combatendo os vícios egocêntricos que nos moldam, homens e mulheres - esvaziados de nós mesmos - mas plenos de amor. Temos que assumir a nossa verdadeira identidade, a de sermos seres vocacionados para o amor e a solidariedade...

No seguimento de um desafio que a minha amiga
Adryka me colocou, vou deixar-vos aqui uma história de solidariedade, que é bem um exemplo, de que cada um de nós colhe o que planta...

O nome dele era Fleming, e era um pobre fazendeiro escocês.
Um dia, enquanto trabalhava para ganhar a vida e o sustento para a sua família, ele ouviu um pedido desesperado de socorro que vinha de um pântano nas proximidades.
Largou as suas ferramentas e correu para lá.

Quando lá chegou, encontrou enlameado até à cintura um menino que gritava, e que tentava escapar à morte.
O fazendeiro Fleming salvou o rapaz de uma morte lenta e terrível.
No dia seguinte, uma carruagem riquíssima chegou à humilde casa do escocês.

Um nobre elegantemente vestido sai e apresenta-se como o pai do menino que o fazendeiro Fleming tinha salvo.
"Eu quero recompensá-lo", disse o nobre." Você salvou a vida do meu filho".
"Não, eu não posso aceitar pagamento para o que eu fiz", responde o fazendeiro escocês, recusando a oferta.

Naquele momento, o filho do fazendeiro apareceu à porta do casebre..."É seu filho?" perguntou o nobre.
"Sim" respondeu o fazendeiro orgulhosamente.
"Então eu faço-lhe uma proposta. Deixe-me levá-lo e dar-lhe uma boa educação. Se o rapaz for como o pai, quando crescer, vai ser um homem do qual você terá muito orgulho".
E foi o que ele fez.

Tempos depois, o filho do fazendeiro Fleming formou-se no "St.Mary's Hospital Medical School" de Londres, ficou conhecido no mundo como o notável Senhor Alexander Fleming, o descobridor da Penicilina.
Anos depois, o filho do nobre estava doente com pneumonia.
O que o salvou? - Penicilina.
O nome do nobre? - Senhor Randolph Churchill.
O nome do filho dele? - Senhor Winston Churchill!!!

É de exemplos de belos gestos como este que vive o mundo, e não de gestos de guerra, de violência, e de agressão.
Este desafio que a
Adryka me colocou, consiste na divulgação de uma associação humanitária ou de solidariedade social à nossa escolha, e é um daqueles desafios que não podemos ignorar, pois se as famosas correntes da blogosfera servem para nos conhecermos melhor, estas poderão ser aquelas alturas em que o nosso lado solidário mais se evidencia.
Por isso quero divulgar a Associação de Solidariedade Social
"Ajuda de Berço", e passar este desafio solidário para que outros bloggers lhe dêem seguimento.
Os bloggers que escolho para dar seguimento a esta iniciativa são os seguintes:

À Alyia, à Miosotis, à Paty, à Dulcineia, e à Carlinha

24 Comments:

  1. Paty said...
    Art quando me deixaste o comment no meu espaço foi logo a primeira instituição de que me lembrei. Não vou faltar ao desafio, mas quero pesquisar melhor e depois falo ao mundo o meu olhar sobre a solidariedade.
    Beijos
    Micas said...
    Não conhecia esta história. Todas as organizações de solidariedade são de louvar e apoiar, assim como todos os voluntários que dão um pouco de si.

    Um grande Bem Haja a ti e a todos que param para pensar no próximo também...
    alyia said...
    Realmente não sou a favor de correntes...
    "esta pode ser a altura em que o teu lado solidário se pode evidenciar." Decididamente te garanto que não preciso evidenciar o meu lado solidário a mim basta-me que ele exista.
    Bem... mas como me mereces o maior respeito, está prometido: não serei eu a quebrar a corrente.
    Miosotis said...
    Art, embora tenha acabado de aderir a um apelo internacional 'Campanha Mundial para a Educação 2006', estarei atenta ao teu pedido.

    E como tenho partilhado várias correntes de solidariedade (apelo ou vontade própria) dá-me só um tempo para me deter sobre uma associação humanitária que ainda ñ tenha divulgado!

    Linda história de vida partilhada, associação mt meritória!
    Texto de tua autoria mt bem escrito e cheio de sensibilidade!

    Boa semana, tb p'ra ti!

    bjs em tons de azul
    GNM said...
    Não sabia desta estória!
    Fascinante!

    1 abraço!
    Doryanne said...
    Um belo gesto de solidariedade, e uma bela escolha a tua de divulgação.

    Beijinhos e bom resto de semana*
    Maria Carvalho said...
    Solidariedade. Às vezes existe muito pouca, embora se fale nela! Beijinhos.
    Adryka said...
    Meu querido amigo, a tua estória é fascinante, essa é uma forma fantástica de fazer bem, eu a ser sincera não acredito muito nas associações, acho que por detraz da associação está sempre alguém a ganhar á custa das boas intenções, é o que temmos visto até hoje, até costuma dizer-se que são caridosos com o dinheiro dos outros. Agora o teu post está fantástico adorei os meus parabéns. Beijinhos
    yulunga said...
    Ora viva.
    E porque tem tudo a ver com solidariedade, aproveito para pedir a todos que aqui vêm para assinarem esta petição contra o genocídio em Darfur, bem como para a divulgarem aos vossos contactos de mail.

    http://www.humanrightsfirst.org/international_justice/darfur/voices/index.aspx?source
    maresia said...
    Eu confesso que não gosto muito da Ajuda de Berço, prefiro pequenos projectos anónimos, mas por acaso fui eu que fiz o primeiro site da associação (já não está online) e que desenhei o Colo, na altura quando trabalhava na Jazztel (actual AR Telecom). Vão lá dar um colo, vão ver que não pesa nada: http://www.jazzcidadania.org/

    Eu divulgo o CAT de Tercena, onde tenho dois Amores e vários Amorzinhos. Não tem site, só vontade de fazer a diferença.
    Papoila said...
    Fiquei curiosa e vim ver o teu post sobre solidariedade. Magnífico Art of Love. São histórias como esta que revelam os verdadeiros valores do espírito da humanidade. O teu post é brilhante no realce do amor ao próximo tão só porque é o nosso próximo. A escolha da Ajuda de Berço é mais uma das provas.
    Beijo
    BlueShell said...
    maravilha!
    Beijos coloridos
    BShell
    0º0º00ºº0º0º0º0
    0ºº0º0º0º0º0º0º
    0º0º0ºº0º
    Mel said...
    Vida... Sempre será fruto do amor. Beijo, Mel
    alyia said...
    Promessa cumprida!
    Bjs
    Paty said...
    Art meu amigo, missão cumprida! Desafio aceite e cumprido :)
    Espero ter estado á altura...
    Beijo
    lazuli said...
    Art, bela história que desconhecia.
    E um abraço pelo teu texto de solidariedade. Embora haja pouca neste mundo, que seja de pequenos /grandes gestos que todos somados se venha a construir, um dia (num futuro longinquo), um mundo melhor.
    Miosotis said...
    Art, espero ñ te desiludir! A corrente continua...

    bjos
    Friedrich said...
    Queres saber mesmo a verdade? Só estou mesmo aqui pq o meu blog mandou; para ver se tb comentas a minha história. Alguém disse: "que longa introdução". E eu acrescento, mas é mesmo só uma introdução, porque a história vai formando-se dentro da tua cabeça. - P/ descarado só me falta o chapéu... Senão tiver leitores as vendas baixam. - A poesia não precisa, governa-se sozinha!...

    Abraços
    Dulcineia said...
    Missão,duplamente cumprida...
    Ora vai lá ler!
    lena said...
    fascinante a estória que tão bem escreves, hoje vim comentar a este lado, pela saudade de te ler,
    encantei-me com as tuas princesas e o carinho que partilham
    o teu lado de solidariedade já o conhecia,
    a força e o carinho que me dedicaste demonstram isso
    lentamente vou voltando, sempre foi meu desejo não deixar este mundo, onde leio e aprendo tanto, onde me sinto bem

    meu querido amigo um abraço cheio de ternura e beijinhos muitos

    lena
    Andrye said...
    N conhecia esta historia e é lindissima! é um desafio mt nobre e n deve ser ignorado!bom fim de semana,um beijo grande**
    Ofeliazinha said...
    Lindissimo blog, parabéns. Bom fim-de-semana.
    paulo said...
    Deixo-te aqui o meu abraço Art e o um bom fim de semana.
    Paulo
    João C. Santos said...
    a solidariedade sobrevive pelas pequenas mãos, as nossas, quem tem o poder de a tornar imortal não se preocupa verdadeiramente...é assim o nosso mundo triste...

Post a Comment