Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |


O amor não é inteiramente um delírio...
Mas tem com ele muitos pontos em comum...

39 Comments:

  1. Lis57 said...
    O amor é um sentimento bem mais forte que um delirio. Embora por vezes num acto de amor possamos delirar.
    Mas os delirios sso só momentos, o amor é uma constante. Amamos a pessoa certa e deliramos com a pessoa errada, que afinal são duas pessoas numa só.

    Beijos
    pensamentos said...
    Olá Art,

    Desculpa, mas para mim o amor é um delírio,
    Para que o seja, é preciso amar muito a pessoa que temos no momento desse delírio...

    Os pontos vão todos ter ao mesmo sentido... o do amor e da paixão...

    Será um dos pontos que tu referes?

    abraços...
    Anonymous said...
    Olá Art!

    Na minha opinião o amor é um misto de sentimentos, onde o delírio será um deles, mas não necessáriamente o mais forte, o amor deixa-nos a delirar por coisas boas, pela pessoa amada.
    O amor os posntos que tem em comum é o que todos sentimos qd nos apaixonamos...é o desejo, é o querer...

    Um abraço para ti

    Gonçalo

    No Rasto das Ondas
    Rukinha said...
    precisamente...!
    Renatinha said...
    o amor...um sentimento verdadeiro dentro da gente ..amor que nos leva as mais lindas loucuras, faz com que riamos na Rua na Chuva no Farol..
    lindo amigo
    beijo
    Raquel Vasconcelos said...
    O AMOR pode ser como uma droga...
    anacanela said...
    sim muitos pontos em comum...mas torna-se sobretudo delirio quando não há pontos a ganhar ou a perder, quando deixamos de jogar para nos deixarmos levar! aí os pontos em comum são infinitos! são os pontos de encontro connosco e com a existência ou ausência doutro alguém, nas ruas, na praia, num refugio, na paz, na ázafama, na pele...puro delirio a colidir connosco! *abraço*
    Wakewinha said...
    Delírios bons e delírios menos bons, aqueles que nos fazem sofrer! =(
    Ana Luísa said...
    Se tem... mas creio que é mais no início de uma relação em que a paixão ainda lhe está associada...
    Com o tempo, o amor torna-se menos delirante e mais constante (uau, fiz um verso!)...
    Bjs
    Monica said...
    Para mim o amor só é um delírio quando não existem pontos em comum.É algo como que impossível por vários motivos.Delírio no amor é o desejo, o frio no estomago, o sonhar acordada mesmo com a pessoa à nossa frente ...podia estar aqui um dia inteiro a escrever sobre isto...é bom amar sem duvida! Beijo grande
    Taliesin said...
    Oi meu amigo, o pensamento q vc colocou é perfeito, amar é a melhor coisa q temos, devemos viver muito e amar mais ainda
    abraços
    O Micróbio said...
    Sem qualquer tipo de dúvida... :-)
    Ana, dona do café said...
    O amor é um delírio quando olhamos para o nosso lado e sabemos que não poderíamos pedir mais nada da vida, poderíamos morrer ali, porque toda a nossa luta, todos os nossos esforços concentram-se em quem temos ao nosso lado; pode chegar a parecer um momento perfeito...mas não passará de um delírio...e e bom que haja delírios...mas um rosa, por mais bela que seja, também tem espinhos e devemos saber sempre isso.

    Estive meia ausente nestes tempos,só agora tive oportunidade de passar cá...
    Um beijo grande para os dois e conversem muito com o coração...*
    Vampiria said...
    tem sim, e o amor acontece qd eles convergem, continua a acontecer qd mesmo divergindo, os pontos teimam em convergir, memso que demore um pouco.... um beijo,Art!
    arlequim said...
    oi!! quantos mais pontos em comum maior será o delirio!! bjocas
    menina said...
    Ai, ai, ai, como isto anda padrinho! Então uns dias estás muito mal, outros dias andas com divagações destas tão subjectivas!
    Claro que o amor não é inteiramente um delírio, isso depende dos amantes ;-)
    Quando são amantes a sério (não no sentido figurado), dos que se amam a sério tudo pode ser um delírio.
    Beijosssssssssssss!
    (desculpa não ter andado muito por aqui mas tenho andado com outros vícios, LOL)
    JPD said...
    É tudo o que dele formos capazes de fazer!
    Um abraço
    MiSha said...
    O Amor faz com que deliremos e sejamos capazes das maiores proezas e também das maiores vergonhas, mas o amor é isso tudo,transforma-nos... mas n chega a ser um estado de delírio constante porque se não, não o aproveitariamos tão intensamente, pois é muito bom cair na sua realidade...
    la femina said...
    Eu diria que tem mais pontos em comum com a paixão, que é mais de loucuras, devaneios e delírios! Mas naqueles instantes primários do amor, tudo se confunde, tudo é tão belo, que amor e paixão não passam de células de um mesmo embrião!
    ;)
    Boxexas said...
    O amor não é inteiramente um delírio, embora este também habite nele. O amor é intenso, profundo, cheio de paixão e, como tal, conduz-nos a delirar com momentos extraordinários, com sensações desejadas, com a pessoa amada... e, desta forma, sim, podemos dizer que tem muitos pontos em comum. o importante é mesmo amar e nunca transformar esse amor num delírio descontrolado!! =) Beijokas**
    CP said...
    O amor não é um delírio?
    Ai é é.
    Bem, pelo menos algum tipo de amor. Pois é isso, "muitos pontos em comum".
    Carlinha said...
    No Amor tem que haver delírio, mas no delírio não é forçoso que haja amor.
    Kriz_The_Wiz said...
    Nem mais...Só é amor quando a outra pessoa passa a estar numa espécie de plano superior, fazendo-nos fazer de tudo por ela... PS:Quanto ao teu comentario no meu blog...Sim, sinto-me cumplice,mas agora é altura completamente errada para dar isso a saber... sigh...
    Joao said...
    sim, é isso mesmo .

    Um abraço
    Anonymous said...
    Concordo plenamente com esta tua frase. Bom ponto de vista!=)
    Abraços
    Ocean www.openroad.blogs.sapo.pt
    Cassiopeia said...
    Sobre o amor poderás dizer quase tudo que eu muito provavelmente concordarei. :)
    Beijos!
    Elvira Bill said...
    É uma loucura, o que vem a dar no mesmo.
    bjinhos
    Carmem L Vilanova said...
    O Amor é um sentimento rico, e por isso é possível confundí-lo com tantos outros... concordo que há delírio no amor, mas o contrário nem sempre acontece...
    Um lindo final de semana para ti, querido amigo!
    Beijos e sorrisos!
    Astri* said...
    Concordo. Concordo mesmo. Como diria um migo meu... "O amor é aquela coisa que toda gente sente e é tão diferente por isso. Por se sentir.".. confuso mas até até tem sentido :D

    Beijo *
    Astri* said...
    Ah ja me me esquecia.. Sobre o teu comment.. ainda n obtive nenhum tipo de resposta. É preciso esperar para se conseguir.
    beijo *
    Visible Silence said...
    O amor é muito mais do que um delírio.
    É verdade, o amor faz-nos delirar... entrar em êxtase, cometer loucuras pela pessoa amada, ultrapassarmos os limites do que é "normal"... é viver o momento.
    Mas o amor... o verdadeiro amor, ultrapassa o delírio... ousa ir mais além. O verdadeiro amor é aceitação, é respeito, é amizade, é compreensão... é ousar viver a realidade do dia a dia.
    Quando se fica pelo delírio corre-se o risco de não se ver a realidade... de vivermos somente ilusões... tudo é belo mas oco... vazio.
    É preciso muito mais do que delírios para construir uma relação de amor.
    O ideal é pintalgarmos o verdadeiro amor com pinceladas de delírio.
    Elsa said...
    Art,
    Concordo inteiramente contigo, ainda bem que o Amor tem muitos pontos em comum com o delírio!
    Quem dera a muita gente que pensa que ama, (e "desculpa" as suas atitudes como o ciúme, a desconfiança, o desrespeito pela suposta pessoa amada com esse amor) sentir sequer um pequeno delírio...
    Um beijo.
    Humbertothewizard said...
    É verdade. Mas o amor será um delirio se aqueles que o praticam queiram que ele assim seja, independentemente dos pontos em comum que os dois amantes possam descobrir um no outro. Ao contrário do que muitos possam eventualmente pensar, um delirio de amor não se encontra na cama, após uma intensa noite de luta sexual de corpo a corpo. Descobre-se esse delirio intimo mas desconhecido, abrasador mas éfemero, do interior para o exterior de cada um, no espirito de sacrificio que cada um possa disponibilizar para manter acesa, a candeia do seu amor pelo outro, nos escolhos que a existência coloca no caminho. Muitas felicidades para o Art of Love [Esfera dos Anjos]
    andrye said...
    Pra mim o amor n tem definição..é tudo akilo q keremos sentir..é akilo q é tão bom mas q nos pode destruir igualmente.. Gostei da imagem e da frase.beijokas grandes.
    Astronauta said...
    O amor, será alvo de difinição? Parece-me que apenas definimos o vocábulo...nunca o sentimento, porque poderia terum outro qualquer nome...enfim...não muda aquilo que é a nobreza e a verdadeira VIDA
    Daniel Aladiah said...
    Concordo :)
    Abraço
    Estou Feliz said...
    Quem já verdadeiramente amou... quem teve a sorte de ter um relacionamento que fosse além da paixão, sabe que nem só de delírios se constroi o amor.
    É verdade... os delírios são importantes no amor.
    Pontos em comum?...Quando as mãos que durante anos percorrem o meu corpo... hoje me provocam arrepios de prazer e me fazem delirar como se fosse o primeiro toque.
    Quando depois de tanto tempo ainda ficamos pela noite fora... simplesmente abraçados e a conversar.
    Quando nos sentamos, depois da rotina do costume, na varanda a ver as estrelas e a olhar olhos nos olhos... sem palavras.
    Delírio... quando descobrimos que o nosso amor sobrevive aos contratempos e rasteiras que a vida nos prepara.
    Estes são, para mim, os pontos em comum entre o amor e o delírio...conhecer... mas sentir como primeiro.
    Peter Pan X said...
    Caro Art,

    Para mim o delírio pode ser em certos aspectos uma componente do Amor, mas não confundo (na essência) um com o outro.

    O Amor é mais completo, mais profundo, mais puro, mais abrangente...

    O delírio não passa de um "desvio mórbido da razão contra o qual não valem a experiência nem a argumentação lógica e em virtude do qual o indivíduo se afasta cada vez mais da realidade."

    Desculpa o preciosismo...

    Eu gosto do delírio, mas "amo o Amor"...

    Abraço

    ;-)
    Maria Carvalho said...
    O amor torna-se tanto mais delirante e absorvente quanto menos o podemos oferecer a quem amamos. Beijos

Post a Comment