Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |


A atmosfera romântica tomou conta da blogosfera, e por isso a
foryou do blogue again for you and me atribuiu-me o prémio "Destaque Cupido Fonte de Amor"... ou seja, fui "flechado" a falar sobre o que é o amor...


De que é feito o Amor?
O Amor é feito da soma de muitas coisas... de vontade... tempo... espera... respeito... paciência... doçura... proximidade... generosidade... sonho... paixão... e também de alguma tristeza... Há pessoas que ficam tristes quando se apercebem que se vão apaixonar, e outras que ficam ainda mais tristes quando se apercebem que não conseguem atingir esse sublime momento que faz parar os ponteiros do relógio.

É muito difícil amar... amar sem tempo... sem exigências... sem medo. Amar por amar... querer sem pensar... sonhar sem recear... O que eu mais gosto no amor é da paixão, do desejo, da serenidade, e da vontade de construir tudo à imagem do que sentimos. Mas o amor é muito mais do que isto, o amor é muito mais do que querer, desejar, sonhar, e amar.

O amor é partilhar uma vida numa entrega sem limites. O amor não tem nada a ver com grandes presentes, jantares-surpresa em bons restaurantes, viagens-relâmpago, ou garrafas de champanhe. O amor alimenta-se com beijos, sorrisos, palavras, e ideias. O amor leva-se a si mesmo por caminhos que nem ele mesmo conhece, e é por isso que quem ama promete sempre tudo sem pensar, porque quando estamos apaixonados, respiramos amor até quando estamos calados ou a dormir.

Mais do que uma paixão que se consome a si mesma e desaparece sem deixar rasto, o amor sabe ser calmo, sereno, sem medo nem dúvidas. O amor quando chega e entra na nossa vida muda tudo... e tudo na nossa vida muda. O que havia antes apaga-se, deixa de fazer sentido, e reduz-se à insignificância de passado que já passou. Amar alguém é começar a viver outra vez, e esquecem-se as desilusões, o medo de falhar, e aqueles que nos amaram, ou que nós pensamos ter amado morrem sem dor dentro de álbuns de fotografias, ou de cartas já sem voz.

Há instantes de amor perfeitos, momentos perfeitos em que sentimos por breves segundos as mãos entrelaçarem-se enquanto alguém nos diz ao ouvido:
"Estás enganado, pode ser isto o Amor"
E pode... e deve... e nós até queremos que seja...
É este o amor que nos faz sermos felizes, sempre, apesar de tudo, e acima de tudo. E o resto são pequenos nadas que pertencem ao mundo dos comuns mortais. O Amor continua a ser um mistério que não sabemos como começa, nem onde acaba... que transforma tudo, e mente muito bem.


Agora passo adiante o prémio, atirando flechas de amor a 10 blogues que falam, e respiram amor por todos os seus poros. Os indicados devem fazer o mesmo e "flechar" outros tantos blogues...

13 Comments:

  1. Nefertiti said...
    De que é feito o Amor?! O que é o Amor?!
    O Amor... o Amor... o Amor..., sempre o Amor!
    Aquele de que tanto se fala, e de que tão pouco se sabe!...
    Sim, concordo contigo Art, a atmosfera romântica tomou conta da blogosfera!
    Fala-se de amor, de desamor... os sentimentos libertam-se, as almas falam, gritam... tantas vezes, vozes mudas, retraídas, assustadas... mas impelidas, sempre, pela força imensa deste sentimento.
    Foste “flechado” Art, e muito bem, corroboro a opinião da foryou... aqui, “respira-se” amor!... o amor em todas as suas vertentes: o amor de amigo, de amante, de filho, de pai... amor amado, amor sofrido, amor desejado, amor sentido, amor vivido, amor presente, amor ausente...
    ... FELICITO-TE!...
    Agradeço a alusão e a apreciação que fazes ao meu espaço. Não me sinto merecedora de referência alguma, pois considero que não faço mais do que libertar ecos duma voz que há muito se calou, se é que algum dia falou!... Há muitos, muitos anos atrás, alguém me disse que eu jamais saberia o que é o amor... Porquê?! Porque, segundo opinião, penso demasiado!... e quem pensa demasiado não vive o amor, logo nunca o conhecerá ou fará dele alguma ideia!... Talvez assim seja, e talvez por nunca o ter “conhecido”, eu dele tanto fale!...
    Esquecendo esta opinião e tendo, eu, em conta a minha forma de ver e sentir amor (porque muito ao meu jeito eu considero que esse sentimento existe em mim), e atingida por uma das tuas flechas, divagarei, mais uma vez, sobre aquele “... fogo que arde sem se ver...” aquela “... ferida que dói e não se sente...” aquele “... contentamento descontente...” aquela “... dor que desatina sem doer...”...
    Vou tentar, sem promessa, ainda “flechar” esta semana... mas creio não seja possível!...
    É que a Nefertiti, prepara-se para se ausentar durante duas deliciosas semanas de puro lazer, de quebra total e absoluta de rotina... :) aqueles diazinhos tão desejados, ansiados e vulgarmente apelidados de FÉEERIASSS!!! :)

    Até... até ao meu regresso... :)
    Beijinhos.
    Porquê? said...
    Querido Art,
    acabei de ler esta maravilha e estou sem palavras! neste momento não consigo dizer nada, nem sei mesmo se me atreverei a fazê-lo mais tarde pois qualquer simples frase deixada em comentário soará a pouco perante esta obra de arte!
    Concordo com toda a tua descrição do AMOR!!!!
    P A R A B E N S ! ! !
    P.S: já ponderaste a ideia de editares um livro? pensa nisso....
    beijinhos
    até breve
    Freyja said...
    el amor no es dificil, las personas lo hacemos dificil si no entregamos todo y ademas si no somos honestos
    feliictaciones por el premio amigo, bien merecido
    te dejo cariños y que estes muy bien, besitos


    besos y sueños
    CM said...
    Art of love,
    perdi as palavras certas, para te agradecer a nomeação, acredita que é importante para mim, saber que partilho as minhas palavras, os meus sentimentos desta forma, mesmo que seja em silêncio... e por vezes o silêncio diz tudo! Quero continuar a partilhar a minha essência e nesta partilha deixei um agradecimento a quem me acarinha lá no meu cantinho.

    Beijo, com essência de carinho e partilha!
    WildFlower said...
    Olá Art que bom que é poder reencontrar este canto sempre tão sereno e tão carregado de energias fantásticas...
    Já tinha saudades!
    Antes demais obrigado por fazer parte deste teu cantinho tão maravilhoso e obrigado tb pela flechada...
    Neste momento vai ser dificil definir o amor....mas um desafio nunca se nega e eu vou tentar dar o meu melhor...
    Beijos cara amigo!
    Paty
    Hannah said...
    Querido Art, em primeiro lugar agradeço-te imenso por me teres "flechado". Gostava de acreditar que todos nós conhecemos o amor, ou algum dia isso acontecerá.. o que tu escreveste diz tanto, é a tua forma, é o teu sentir, é a tua vivência.. e o amor é isso, um tudo e nada que se une e se transforma numa imensidão em nós mesmos. Vale sempre a pena amar, lutar e escutar o que nos sussurram os sentimentos... sempre! Porque o amor pode ser complicado e pode abrir pequenas feridas no coração, mas também nos proporciona momentos sublimes e de extrema felicidade. Um beijo enorme e perdoa-me também a ausência, mas ando cheia de trabalho... voltarei com mais calma depois. Beijo, beijo, beijo!!
    alyia said...
    Pronto, cá estou eu para confirmar que cumpriste a tarefa :) e muito bem, Art! Dificilmente alguém faria melhor!!

    Vou ter de "vasculhar" algumas dessas tuas flechadas que não conheço... mas ao que parece, devia conhecer.

    Enorme beijo para ti e o sempre obrigada :)
    Atlantys said...
    Que palavras lindas Art...
    O amor é assim e acontece quando menos esperamos =)*
    Beijinhos =)***
    Beta said...
    Obrigada por teres feito de mim uma das escolhidas, nem de propósito.
    A resposta está no meu blog irás perceber... ;o)
    Deixo-te um beijo enorme com carinho e tens razão em tudo que disseste sobre o Amor...

    Até breve...**
    MeiaLua

    http://fragmentosdalua.blogdrive.com
    imensa said...
    obrigada... aqui deixo mais um pouco de amor.



    "A mulher que sabia a mar"

    Pele morena, desejo, paixão
    Veneno de um momento
    Sabia a mar, de pequenas gotículas
    De silêncio que o seu corpo sedento
    Não mais sabia aguentar.

    Desfilava pelas areias, coberta
    Por um manto azul-escuro de veludo
    Cravejada de diamantes,
    Grandes, pequenos, médios
    De todos os tamanhos
    Que brilham em estrelas.

    Sabia que sabia a mar
    A fragrância delicada agreste
    Tornava-a numa certeza.

    Sabia que sabia amar….


    beijo imenso
    Alexandra said...
    Olá Art,

    finalmente consigo cá entrar!!!!

    As tuas palavras dizem muito. O amor pode ser tudo isso que dizes. Eu própria concordo. Só não sei de que é ele feito, nem como por circunstâncias da vida pode acabar...ou, se não acaba, em que se transforma? Ou seremos nós que nos transformamos?! Neste caso, falo de amor no que respeita a uma relação. Mas, o amor tem várias vertentes e existe uma em que ele é de tal forma consistente que não desaparece nunca. O amor dos pais aos filhos, em termos gerais falando. Esse, nunca termina!

    Há muito tempo que não vinha aqui. É bom voltar a ler-te! Obrigado pelo convite.

    Beijos e continua sempre!
    Miosotis said...
    Art, como pude esquecer de agradecer a tua 'flecha' sobre o amor! Perdoa :(

    Acredita! Estava segura q o tinha feito e até prometera ñ esquecer, mas... sem tempos!

    Ñ sei se conseguir seguir o q pretendias com teu voto de confiança e amizade! No entanto, fi-lo ao meu jeito!

    Se sentires nele o prazer de poisar teu olhar!

    bjs de afectos amistosos
    Nefertiti said...
    Acredito, sempre, que "mais vale tarde do que nunca"!...
    Mais uma vez, de amor falei...
    Beijinhos.

Post a Comment