Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

O grande problema do amor é que nunca aprendemos nada com ele, nem sequer aprendemos a esquecer.

Amei-te durante mais tempo do que devia, por teimosia, mas estava errado, e só descobri isso quando deixei de ter saudades do teu corpo, e das tuas mensagens tardias no telemóvel que me alegravam as manhãs. Às noites de sono sobressaltado seguiram-se as de descanso profundo, com a certeza de que o dia seguinte seria mais fácil.

A verdade é que quando amamos alguém, nem sempre guardamos esse amor, mas tu tiveste sorte comigo, porque tenho sempre vontade de te ouvir, e nunca deixei de ser teu amigo, como se o amor que tive por ti nunca me tivesse traído.

Quem disse que devemos acabar com as coisas antes delas acabarem por si mesmas? Eu nunca quis acabar nada, porque acabar e desistir são verbos que não fazem parte do meu dicionário, mas também é verdade que já não sonho com um futuro possível contigo. A ansiedade desapareceu, e deu lugar a uma enorme paz interior.

É claro que tu já sabes sempre tudo que te digo, mas ficam sempre mensagens perdidas, cartas nunca terminadas, e sonhos que morrem antes de serem partilhados. Por agora prefiro pensar na amizade que nos une, uma categoria só nossa, unidos por uma força misteriosa, que nos guiou até ao presente, e que nunca deixará de nos juntar, porque o amor está antes e depois de tudo, nunca se esquece nem apaga, porque há sempre uma forma de o viver.

13 Comments:

  1. Dulcineia said...
    Hum..ainda bem que voltaste.Espectacular o teu texto.Já tinhamos saudades.
    Maria Carvalho said...
    Gostei de te ler! Mas discordo. Beijos.
    Papoila said...
    Querido Art:
    Nunca aprendemos nada com o amor?
    Creio que nunca aprendemos nada sem ele..."porque o amor está antes e depois de tudo, nunca se esquece nem apaga, porque há sempre uma forma de o viver."
    Beijo
    HumbertotheWizard said...
    Na verdade aprendemos sempre algo com o Amor, pois mesmo que uma leve pétala do sentimento elevado que unia os dois, haja caído não significa porém que a flor do Amor murche, pois ficará sempre na retina do coração, aqueles momentos maravilhosos, em que absolutamente nada nem ninguêm existia, a não ser ele para ela, e ela para ele.

    A sincera Amizade é uma das lições que o Amor nos ensina. È uma forma airosa de iludir as mágoas, sarar as feridas e apaziguar a melancolia de uma cega paixão, que não bateu certo.

    Mas melhor a Amizade, do que um ódio furioso, e um ressentimento sem paz nem fim. Porque, não se há-de continuar o Amor vivido, só que de uma outra forma, já que ele se manifesta espontaneamente, nos corações da boa vontade?

    Embora por vezes traído, outras adulterado e quase sempre magoado, o certo é que será sempre imprudente e até prejudicial, atrofiar-se o nosso maior sentir, com a experiência desagradável de um Amor não correspondido, porque na verdade haverá sempre algo de valioso a aprender com o Amor. Nem que seja simplesmente, amar.

    Voltar a amar alguêm, que mereça verdadeiramente essa devoção. Art, este pensamento que escreveste hoje é uma pérola da paixão, e genuino hino ao Amor.

    Muitas felicidades para o paladino do Amor cristalino, que ês tu.

    (DominiodosAnjos.Blogs.Sapo.pt)
    Ana said...
    Art,

    "Quem disse que devemos acabar com as coisas antes delas acabarem por si mesmas?"

    Ao ler estas tuas palavras, que mais uma vez e como sempre, me fazem parar para pensar em tudo á minha volta, não pude deixar de sentir que muitas vezes queremos ser "donos do tempo das coisas".
    Por medo, por defesa, por achar que não vale a pena, tentamos antecipar aquilo que prevemos...talvez numa tentativa de "amenizar" algum sofrimento ou desilusão.
    De facto, só podemos dar por terminada uma história quando ela acaba por si mesma... só quando deixamos de sentir, podemos entender.

    Adorei este texto, por todos os motivos...

    Beijinhos
    IsaMar said...
    adorei o texto. Que pena não ser meu. Mas é teu e aqui deixo os parabéns.
    jinhos meus
    meialua said...
    Olá. Vim ver as novidades e deixar um beijinho com muito carinho e o desejo de uma Páscoa muito feliz!!***
    Miosotis said...
    Como sabes, ñ comento textos de intimo sentir, mesmo q ficcionado!

    Fiquei mt sensibilizada com a tua visita ao meu espaço!

    Para ti um abraço de afectuosa amizade e retribuição dos votos de uma Páscoa Feliz!
    Miosotis said...
    Em jeito de coda ao comentário deixado:

    O amor é o amor - e depois?!
    Vamos ficar os dois
    a imaginar, a imaginar?..
    [...]

    Alexandre O'Neill, O amor é o amor
    bjs
    Freyja said...
    hermoso post lleno de sentimientos y vida
    el amor hermoso verbo y el mas bello sentimiento y la razon de vivir
    solo que a veces danzamos en el amor de a dos y otras veces quedamos danzando solos
    un abarzo muy grande y que estes muy bien
    Feliz Pascua y besitos


    besos y sueños
    Freyja said...
    un abrazo muy grande y para Portugal tambien en estes 25 de Abril
    besitos y que esten bien


    besos y sueños
    Visible Silence said...
    Tu...
    sabes sempre tudo o que te digo...
    Tu...
    sabes sempre tudo o que sinto...
    Tu...
    queres sempre que te diga...
    Eu...
    quero sempre que tu saibas...
    Tu...
    Eu...
    Dialogando o amor em silêncio...

    Beijos
    foryou said...
    :) obrigada por me teres permitido voltar a este espaço.
    Não me interessa se estes textos são relatos ou não de realidades (todos o são um pouco, sempre, de uma ou outra forma) interessa-me apenas que sempre teve muito bons textos que me dava prazer ler.

    Quanto a não aprender nada com o amor... hum... discordo! Com tudo se aprende algo.
    Quanto a esquecer... nem imaginas o complicado e doloroso que é "esquecer" o quer que seja. É perder um pedaço de nós. Não o queiras

Post a Comment