Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

Não sei como começar... Talvez começando por relatar o fim? Mas não será isso uma antítese?...

Foram dois anos e meio da minha vida em que me entreguei a estes personagens. Subitamente, tornaram-se vivos para mim.
Existem... amam... sofrem... e estão perto. Sim, é possível as personagens ganharem vida.

Agora, separar-me deles vai exigir da minha parte muita determinação e um luto especial... ou talvez não tão especial assim... simplesmente um luto, muita gratidão por os ter tido na minha vida, por todos os momentos que partilhámos juntos, e por em muitas alturas terem funcionado como o meu porto de abrigo. Nunca encontrei ninguém que me servisse de porto de abrigo... apenas eles... E porque será?

Posso considerar várias possibilidades... talvez por ser forte e não precisar de um porto de abrigo... ou então por ser forte, mas mesmo assim precisar de um porto de abrigo, e não encontrar ninguém mais forte do que eu que possa funcionar como tal... ou ainda, talvez, por as pessoas não perceberem que até eu posso precisar de um porto de abrigo.

Como conclusão, posso dizer que me orgulho de ter conseguido fazer deste espaço um lugar de partilha, e que penso que deu a oportunidade a muitos de vocês de se reverem em muitos destes sentimentos, e de reflectirem sobre eles. Isso ficou bem vincado na participação, desabafos, e comentários que cada texto foi tendo. Espero que vos tenha sido útil, e que em muitas situações tenha funcionado para vocês, também, como um verdadeiro porto de abrigo. Por aqui aprendi muito, e fiz muitos amigos, que continuarei a ler e a comentar nos seus espaços.

Talvez um dia volte... Quem sabe?... E porque não?
Talvez um dia volte aqui... amanhã... daqui a uma semana... um mês... ou nunca...
Afinal, tudo vai continuar por aqui, no mesmo sítio onde sempre esteve.

Por agora, preciso mesmo desta interrupção... porque cansei de ser o porto de abrigo... quero ser o porto de chegada...

Paulo B.
.
.
.
.


Deixo-vos com o texto que se segue abaixo. É o último capítulo desta "estória" narrado pela Dä®k Añgë£...

52 Comments:

  1. Bruxinha said...
    Não vás.....bebe mais um copo.
    Miguel said...
    Art,

    Eu sou um daqueles que se "abriga" no teu porto!

    E ficaria com alguma mágoa se o teu "porto" fechasse as portas!

    Concordo contigo, acho que deves dar uma volta de 360º mas nunca fechar o "Porto"!

    Pensa bem!
    Seja qual for a tua decisão, tens o meu apoio e a minha concordância!

    Um grande abraço,
    Miguel Brito
    Joker said...
    Ás vezes parar é preciso, mesmo que seja em mar alto!

    O porto de abrigo não tera´que ser necessáriamente em local recolhido e seguro!...talvez o teu porto de abrigo sejam mesmo as correntes e a deriva sem destino a que te levam as palavras!

    Pensa nisto!

    Beijokas

    Cheers
    Cristina said...
    Dark Angel,
    Todos nós por vezes precisamos de sair do nosso porto de abrigo, espero que voltes
    :)
    Até lá fica um beijinhu
    yang69@gmail.com said...
    Olá, sou a Ana, uma assidua leitora do teu blog...
    Desculpa se nunca fiz comentarios aos teus escritos, mas sempre estive aqui... Agora dizes que vais parar...Como é logico estás no teu direito, mas vais fazer falta, escreves com o coração,a linguagem que todos entendem. Se mudares de ideias será optimo, de qualquer forma vou continuar a espreitar o blog na esperança do teu regresso. Fica bem!
    yohanan said...
    Continua a ser o porto de abrigo de alguem que te ama. Não desistas...beijitos**
    Menina_marota said...
    Olá,
    Lamento a tua partida. Ou a tua presumida ausência. Gostava de te ler, deste lado. Gostava de te sentir desse. E receber as tuas mensagens, onde anunciavas cada nova postagem.

    Este é um mundo de ganhos e perdas..e nunca estamos seguros num Porto de Abrigo, porque de repente, ele desaparece...

    Já vi muita gente partir, ou mudar de nick... Gente por quem tinha uma grande afectividade literária.

    Agora és tu que vais... Lamento mesmo.

    Quando regressares, espero que avises, eu estarei por aí...

    Um abraço carinhoso
    Paula Raposo said...
    Com vários sentimentos li o último post.
    Porque acaba....porque o texto da Dark Angel é maravilhoso, enfim.... Fiquei sem palavras, não poderia comentar mesmo que quisesse.
    'Temos que mastigar as memórias para elas não doerem tanto'.

    Beijinhos
    Lis57 said...
    Meu querido Art

    Espero que esta tua ausência não seja muto prlongada, piies teus textos são sempre maravilhosos. Sabes que poderás sempre contar comigo como sendo teu porto de abrigo, pois tu já és o meu porto de abrigo. Nem imaginas quantas vezes precisei dum colinho teu enquanto acariciasses meus cabelos,
    e ovisse as tuas palavras de força e ânimo
    Um beijinho
    Litinha said...
    Paulo,
    Que dizer?! Penso que pouco ou nada.
    Há momentos na nossa vida que resoluções e atitudes têm que ser tomadas...
    Dizer que o Art of Love e o About Last Night nos fazem falta é pouco e desnecessário... tu sabes que sim, que és um ponto de referência neste círculo que foi gerado em torno deste espaço e da tua pessoa.
    Pedir-te para não ires, para te deixares estar e continuares, seria egoísmo da minha parte, estaria meramente a pensar em mim e não em ti... não estaria a respeitar os teus desejos, as tuas vontades... então não te pedirei que fiques, peço-te que reflictas um pouco mais... deixo-te um pequeno excerto do “Principezinho”... atenta nestas palavras... que em tudo se adequam a este momento:

    “- Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se pode ver bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.
    - O essencial é invisível aos olhos, repetiu o principezinho de modo a poder recordar-se.
    É o tempo que perdeste com a tua rosa que torna a tua rosa tão importante.
    - É o tempo que eu perdi com a minha rosa... disse o principezinho para se recordar.
    Os homens esqueceram esta verdade, disse a raposa, mas tu não deves esquecer-te. Tornaste-te para sempre responsável por aquilo que cativaste. Tu és responsável pela tua rosa...
    - Sou responsável pela minha rosa... repetiu o principezinho, para se recordar.”

    Entendes-me certamente!
    Não te direi “Adeus”, não existe esta palavra no meu vocabulário...
    Deixo-te um beijo e um “Até já”...
    Ana said...
    Art,

    Quando criei o meu primeiro blog, poucos outros conhecia ou seguia atentamente. Apenas lia um texto aqui, outro ali, e confesso que nenhum me prendia o suficiente para lá voltar.
    Quando descobri o ABOUT LAST NIGHT tudo mudou. Encontrei nestes textos uma intensidade que até ali não sentia em palavras alheias. Revi-me em muitos desses textos. Senti que muitos deles eram um espelho de tudo o que eu vivo ou já vivi.
    Fiquei presa a estas palavras e perdi-me nelas.
    Este blog tem sido, para mim, um verdadeiro PORTO DE ABRIGO, onde muitas e muitas vezes procuro a resposta para aquilo que não entendo.
    Aqui me tenho encontrado. Aqui te encontrei.

    Sei que por vezes temos de parar, fazer uma pausa. Olharmos para dentro de nós sem termos de o mostrar ao mundo.
    Sejam quais forem os teus motivos, aceito e respeito... mas já com muita saudade.

    Continuaremos a trocar ideias e a partilhar emoções por outros cantinhos... mas será sempre no ABOUT LAST NIGHT que te encontrarei.

    Beijinho
    Peter Pan X said...
    Meu caro Art,

    Sabes bem que comecei por tua causa no mundo dos blogs...

    Não queria mas fui ficando, apesar do tempo que tenho para dedicar ao meu Blog ser escasso (nem sei como ainda tenho pessoas que leêm os meus posts!).

    O meu Blog (ainda) existe graças a ti e à força que me deste para continuar, por isso não poderia deixar de vir aqui e pedir-te algo...

    Dizer-te para pensar melhor, com certeza já o fizeste, então porque não uma pausa e depois voltas a presentear-nos coom a tua escrita que tanto nos apraz ler?

    Pensa nisso, caro amigo!

    Um abraço e fica bem!

    ;-)
    Anonymous said...
    quero-te mais e mais....



    não nos abandones, deixa-me(nos) segiuir o teu rasto...
    Miosotis said...
    Lamento profundamente ver-te 'desaparecer' :(

    Mais um elo que se perde...

    Gostaria de sentir-te bem.

    Agradeço mt sensibilizada todos os olhares atentos q poisaste em meus espaços.

    Uma vida de bem estar, são meus votos muito afectuosos,

    bjs nos tons q mais gostares...
    Mily said...
    Quando chega o momento em que tudo conspira para uma mudança, não há como se eximir dela.

    Mudanças, paradas, reciclagem, tudo faz parte de um processo onde o nosso ser precisa de recolhimento para delinear os novos rumos.

    Desejo-te o silêncio, amigo! Aquele silêncio só quebrado pelo raiar do sol, pelo sorrir das estrelas, pelo olhar da lua, pelo cântico dos anjos quando estão a fazer a troca da guarda.

    Deixo flores no teu olhar, sorrisos na tua alma e beijos no teu coração, com muito carinho, no desejo de que, no tempo certo, venha de novo aportar.

    Que te acompanhem os sonhos... somente os sonhos, pois esses sabem o verdadeiro caminho do teu encontro.
    Isa e Luis said...
    Olá Art,

    que o teu olhar atento de poeta encontre sempre novas trilhas para percorrer!!!

    Obrigada pelo carinho sempre presente no virtualrealidade.

    Estarei aqui á tua espera!

    Muitos beijinhos

    Isa
    sobre-nada said...
    Não vás embora... snif
    Rukinha said...
    nem 8 nem 80 acho eu... todos nós gostamos de ser o porto de abrigo, de ter aquela pessoa q nos dao valor e q precisa de nos... mas tb gostamos q nos abriguem... enfim... um abraço e até já.
    Adryka said...
    Mas ora ouve meu querido amigo, agora que me deixas-te habituar a ler-te e a conviver um pouco com as tuas personagens, não me vais abandonar, tens de continuar, não queres ser mais porto de abrigo, ora bolas passa a porto de chegada mas por cá, não desistas dos que de ti gostam e te admiram. Beijinhos
    http://divagandovida.blogs.sapo.pt said...
    espero sinceramente que voltes. . .
    um grande beijinho
    Mikas said...
    Ah mas nao nos deixes aki sem poder beber as tuas palavras...
    _lara_ said...
    enkontrei o teu blog no do rukinha...e decidi vir dar uma espereitadela...
    como me sinto hoje da pa perceber perfeitament o que dizes....
    Eu tenho um porto de abrigo...que esta semana me falhou...e sinto.me desprotegida e fragil por causa disso....
    Mas melhores dias viram..quero continuar naquele porto de abrigo..e espero que tudo se resolta...
    quanto ao teu txt..axu k ta mto fixe...mas acabar?...
    tenho peno de nao ter visto este blog a mais tempo..tens geito..e uma forma "bonita" de passar a mensagem.....
    dps se kiseres passa plo meu e comenta....kiss****
    Papoila said...
    Ola Art!
    Costumava abrigar-me aqui e sempre gostei de ler-te.
    Creio que a decisão está por demais pensada e creio também que a qualquer momento podes voltar... e cá voltaremos a acostar.
    Beijo
    collybry said...
    Olá,Porto de abrigo que nos aconchega...bom ele é, espero que tenho o Teu que Te abrigue...doce beijo eu deixo____________Cõllybry
    maresia said...
    eu comento a última noite, se tu voltares à Onda :)
    CM said...
    Neste espaço dos blogs existem vários portos de abrigo, que nos abrigam com palavras, com sentimentos, com lições, com vida, com amor, com amizade, com compreensão...
    Concerteza que este teu espaço é um ponto de abrigo onde me refugiei algumas vezes do qual vou ter saudades, se realmente tiver um fim.

    O que desejo é que encontres o teu ponto de abrigo, seja aqui neste espaço ou noutros espaços bem mais reais, se forem reais muito melhor, porque esses enchem a alma de uma forma inexplicável (não que estes virtuais não encham, mas talvez não preencham como verdadeiramente necessitamos)...
    Resta-me deixar-te um beijo com essência de partilha, para ti Paulo B.
    vcarvalho_7@hotmail.com said...
    "Sempre acreditei que tudo que é partilhado não mais se esquece"

    Não se esquece mesmo...espero que voltes, estarei sempre aqui...

    1 beijinho
    Nefertiti said...
    Como é bom chamar-te de Paulo!
    Porquê? Porque “hoje” me deste a possibilidade de falar com o Paulo e não com o Art!
    O Art, personagem por ti criado foi e é, para mim, leitora assídua dos seus momentos, uma referência... porquê?... por tudo!... porque tu, Paulo, tiveste a capacidade de nele conceber e reunir a realidade, a ficção, moldados com a tua essência, com os teus sentimentos... foste capaz de chegar aos corações e à alma de cada um de nós, por isso aqui continuamos, a ler-te e a “ouvir-te”... sim, a ouvir-te a ti Paulo, ainda que por vezes não te pareça e não o sintas ou não te tenha(m) feito sentir... tenho escutado com muita atenção todas as tuas mensagens, pois que, para mim, todos os teus textos não foram por acaso publicados, todos eles contêm uma mensagem... umas vezes ao alcance dum olhar, outras, “escondida” nas entrelinhas... e é nas entrelinhas que aparece o Paulo e é lá que te tenho encontrado, é nelas que me(nos) dás a “conhecer” o teu “eu”, a essência do Homem que encanta, prende, apaixona e cativa pelo seu equilíbrio e seriedade.
    Não é por acaso que te leio... não é por acaso que volto para te ler... não é, também, por acaso que te deixo, por vezes, algumas palavras... nada é por acaso... tudo acontece porque há algo que nos conduz ao dito acaso... assim como o amor, esse sentimento que se nos apresenta com uma infinidade de “caras”, também não é um acaso... aqui na blogosfera ele irrompe por entre as palavras... surge das características, ideias, ideais de vida, sonhos, sentimentos, dores, interesses, ..., que se manifestam nas particularidades em comum entre nós, viajantes sem destino predestinado... e voltamos... voltamos sempre porque nos apaixonámos pelo mistério, pela incógnita, porque queremos descobrir e saber sempre mais sobre o ser que habita aquelas palavras que foram, um dia, ao encontro das nossas necessidades... e que tantas vezes, sem que nos apercebamos, delas somos feitos voluntários prisioneiros...

    Em cada comentário que te deixei, não quis meramente marcar a minha presença... não escrevo por acaso... quis, sempre, “retribuir” a tua inata disposição em ajudar o teu semelhante, que conseguiste aqui no “About Last Night” através de textos, interessantes motes para relevantes reflexões... quis, da única forma que sou capaz, fazer chegar até ti a minha interpretação, abrindo o meu coração, deixando um pouco de mim... sempre com o intento de te fazer sentir um “porto de chegada” através da minha tentativa de descodificação da tua mensagem... desejo que o tenha conseguido algumas vezes... e que o tenhas entendido como um agradecimento meu às tantas vezes que no teu porto me abriguei... Muitas vezes, e tu sabes, foste o meu “porto de abrigo”...
    Se um pouco te “conheço” destes dois anos de leitura, sei que nada do que possa dizer te vai, sequer, fazer pensar na possibilidade de voltar atrás na tua decisão... no entanto quero, ainda assim, retornar-te as palavras que um dia “ouvi” de ti:

    Quando sentires vontade de voltar... volta.
    Afastares-te é apagar a luz.
    Deixa sempre uma luz de presença acesa, porque o escuro completo nunca é bom
    .”

    Lembras-te?

    Percebo a tua vontade de querer, ouso até dizer necessidade, de ser um “porto de chegada”... há momentos na nossa vida em que precisamos mesmo gritar:
    “Eu também preciso!”
    Mas Paulo, e porque há sempre um mas e um se... há quem venha ao mundo para ser “porto de chegada” e há quem venha ao mundo “apenas” para ser “porto de abrigo”... quem sabe, e eu não questiono porque para mim é convicção... tu não sejas, efectivamente, um “porto de abrigo”...!?
    ...
    ...
    És um "porto de abrigo"... e ao sê-lo és também um "porto de chegada"...
    Já pensaste nisto?!?
    ...
    ...
    Deixa-te continuar a ser um "porto de abrigo"...
    ...
    ...
    E como entendo que não há acasos, se o és, é porque tens a capacidade de o ser... foi com essa tela, com um ténue esboço a carvão (a que chamam de destino e que nos fazem crer que exista), com a qual foste presenteado à nascença... cabe-te a ti, colorir essa tela com a concretização das tuas vontades, desejos, sonhos, alegrias, ..., e... encontrar e retirar na partilha, no dar, o prazer da vida... da tua vida.

    Não me vou alongar mais... queria, ainda, recordar-te este pequeno excerto de “O rapaz de bronze” de Sophia de Mello Breyner Andresen:

    "A flor de Muguet durante o Inverno dorme na terra debaixo das folhas secas e desfeitas das árvores. Dorme como se tivesse morrido. Mas na Primavera as suas longas folhas verdes furam a terra e crescem durante alguns dias até terem um palmo de altura..."

    Vou aguardar, serena e confiante, a chegada da “Primavera”...
    Anonymous said...
    Olá,
    Adoro ler-te... Também eras o meu porto de abrigo...
    Compreendo que tenhas um período de ausencia...lol
    Vais voltar?!
    Espero bem que sim... pk as tuas estórias são um pouco as estórias de todos nós de uma forma ou de outra...

    Beijinhos

    Ana
    Daniel Aladiah said...
    Caro Art
    mais um amigo que parte... mas não se esquece.
    Um abraço
    Daniel
    meialua said...
    Por vezes são necessárias pausas. Irmos de encontro ao nosso caminho. Mas algumas vezes conseguimos conciliar as duas coisas.
    Fico com a esperança que um dia voltes. Estarei sempre por aqui.
    Beijinhos*
    Anonymous said...
    Tenho pena, muita pena, fico à espera do teu regresso, boa semana.
    Dulcineia said...
    Não faças isso..estou tão habituada a ler-te....Tens-me feito sorrir tantas vezes...e como eu, milhares de pessoas anónimas outras com vontade de saberem mais de ti,vão sentir-se nostálgicas por os dias andados não contemplarem o momento intimo com o Abaut Last Night.De qualquer modo respeito a tua decisão.
    Aceita o meu beijo,roubado à ternura.Havemos de cruzar-nos por aí...eu sei que o destino vai cruzar os nossos caminhos.
    Freyja said...
    Dark
    siempre es un gusto llegar aqui a saludarte
    un bien fin de semana y que estes muy bien
    un abrazo y que estes muy bien
    besitos y cuidate


    besos y sueños
    Boxexas said...
    Olá Paulo... é curioso, como acompanho o teu blog há tanto tempo e não sabia o teu nome.. mas isso nunca fez diferença, pois os nomes não definem as pessoas, nem nos dão rostos. Não posso dizer que já sinto uma nostalgia por ires, mas nada me faria pedir para não o fazeres! Compreendo-te e respeito que precises de te afastar... por vezes, ficamos cansados, mesmo muito cansados por sermos o porto de abrigo dos outros e não termos um vislumbre de quem poderá nos oferecer o mesmo. Agradeço-te por tudo, por vezes, nem temos a noção de como o que os outros escrevem nos pode ajudar... mas ajuda, nem que seja em reconfortos momentâneos. Espero por ti, sempre e acredito que vais ser o porto de chegada. Sempre... Muitos beijos***
    Ana said...
    lamento ter descoberto este porto de abrigo pouco tempo antes desta "pausa"...
    qdo percorro a lista que tenho no meu blog de outros blogs apercebo-me que algumas pessoas abandonaram o seu cantinho...uns foram mostrando pouco a pouco que deixara de fazer sentido, outros montraram claramente e outros simplesmente "desapareceram"...no entanto há sempre uma volta...com outro blog, com participação noutros blogs...se o bicho-blogueiro está dentro de nos será muito dificil largar este mundo...espero e acredito que seja so uma pausa e que daqui a pouco tempo verei novamente vida por estes lados.
    Independentemente do origem* dos teus posts, levaram-me a pensar na vida (espero que entendas esta expressão), como imagino que aconteceu mts outras pessoas, por isso este porto de abrigo faz falta...



    *se reflectem a tua vida, se são criados a partir da tua imaginaçao, ou de qualquer outra forma
    Wakewinha said...
    Å®t_Øf_£övë ou Paulo B., conforme preferires.

    Pedires esse tempo é perfeitamente compreensível, eu mesma - como sabes - precisei, usei-o, e nada de que me pudessem dizer que me convenceu a ficar.

    Quando te vi a dares as boas-vindas lá pelo Voz Oblíqua não imaginei que fosse chegar aqui e ler uma despedida.

    Mas se é isso que tu sentes, vai, talvez encontres em vez de seres sempre o encontrado. Se te mantiveres desse lado, talvez até nos encontres a nós, e nós sejamos o porto de abrigo que muitas vezes clamaram que tu fosses!

    A vida é mesmo assim, e eu tenho alguma pena que o meu regresso à blogosfera tenha a tua partida por detrás, mas já um poeta qualquer dizia, uns vêm, enquanto os outros vão!

    As tuas palavras foram sempre muito fortes, o que justifica o número de visitante e o número de pessoas a partilhar contigo sentimentos tão controversos. Talvez porque tenhas tido a capacidade de relatar o amor, a amizade, o desprezo, o ódio... como mais ninguém conseguiu ou foi capaz!

    Um grande bem-haja e até sempre.
    *W.
    imensa said...
    estranha-se, entranha-se e estranha-se novamente.

    mas sei que voltas!

    gostomuitissimodeti
    imensa said...
    não quero que este seja o último comentário meu ao que escreves.

    descansa e volta!

    beijo imenso
    Cristina said...
    quando voltas?
    :)
    Breaking the Waves said...
    "Conhecer" um blog quando ele acaba não é definitivamente um bom começo!
    Porque me cativou e impressionou vou continuar a aparecer aqui e a ler o que já foi escrito... Pelo que já pude apreender, acho que vou ter pena de não poder ler mais!

    Prazer :)
    Paty said...
    Art,

    Creio que existem momentos assim em que temos que partir, mudar, e seguir outro rumo.
    A vida não faz sentido sem partilha, seja ela com quem for é sempre uma benção istod e dar e receber...
    De mim vai o desejo de tudo de bom, com ou sem teu regresso carrego comigo tantas e tantas palavras tuas, tantos comentarios de apoio e carinho...como um verdadeiro amigo!
    E e assim que continuaras a ser para mim...
    Um Beijo e desejos que encontres na tua vida esse tal porto de chegada.

    Patricia
    batista filho said...
    quando cheguei ao teu porto já acenavas despedida.
    mesmo assim percebi a beleza desse espaço.
    deixo o meu abraço fraterno.
    Anonymous said...
    Olá boa noite...
    Peço desculpa pois tenho andado um pouco ausente, passei para desejar um boa noite.

    são poucas as palavras...
    o tempo não me permite criar...
    no que te digo sem escrever
    deixo-te assim a pensar.

    Até breve.
    mrobertson@sapo.pt said...
    Art of LOVE FELIZ NATAL!
    yohanan said...
    Ando a fazer um roteiro pela blogsfera, mas principalmente por aqueles cantinhos especiais...como este!!!
    Espero que continues actualizar o blog.
    Não desistas de partilhar os teus sentimentos conosco.
    Desejo-te tudo de bom nesta quadra tão especial, mt felicidades, paz alegria e amor. mt presentinhos
    ***
    kissss
    Yohanan
    Isa e Luis said...
    Olá menino,

    Até breve!


    FELIZ NATAL!


    Beijinho

    Isa
    Cristina said...
    ............♥
    ...........***
    ..........*****
    .........*Feliz*
    ........*********
    ......************
    .....******Natal****
    ....****************
    ...******************
    ..********************
    ..........****
    ..........****
    ..........****

    Um feliz Natal para ti, e para todos que te são queridos,
    Um beijinhu sincero...
    Freyja said...
    paso a dejarte un abrazo muy grande
    que tengan una Feliz Navidad con muca paz y amor
    que el 2007 logren mil sueños
    le dejo muchos cariños
    que esten muy bien
    y a seguir luchando por un mundo lleno de encanto
    besitos y gracias


    besos y sueños
    Anonymous said...
    UM SANTO NATAL E QUE 2007 SEJA DE FACTO UM "ANO ÍMPAR"...
    CM said...
    Paulo,
    desejo-te um Natal repleto de doces afectos, regados com o néctar do amor.

    Beijo, com essência de esperança!
    Andrye said...
    Passei para desejar um Feliz Natal e Óptimo Ano Novo cheio de coisas boas, amor, paz, alegria, saúde e que o novo ano so traga surpresas boas!
    Um beijinho grande, Andrye*

Post a Comment