Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

Houve um silêncio, e a porta abriu-se. Ela apareceu, e convidou-me para entrar. Fomos para a sala, e ela reagiu um pouco como se não soubesse o que dizer ou fazer, estava estranhamente insegura.

Começou por fazer perguntas do género - Estás bom? - e começamos a falar sobre temas banais. Mas como não foi para isso que eu tinha ido lá, decidi interromper a conversa, e tentar esclarecer um monte de coisas que tinha por esclarecer há muito tempo.


Å®t Øf £övë - É melhor começarmos a falar sobre o que se passou, não achas?
(fez-se silêncio...)

Dä®k Añgë£ - Sim é melhor, queres começar tu?
(mais uma vez ela estava com medo de tomar a iniciativa para começar uma conversa. Que nervos que aquilo me metia...)

Å®t Øf £övë - Está bem...
(respirei fundo e comecei)
Eu gostava de começar por te dizer que estou muito triste, talvez porque depois de tudo o que aconteceu, eu estava à espera da mulher corajosa que eu conheci e admirava e ela não apareceu. Passaram-se tantas coisas, e sofremos tanto... parece que me deitaste fora, e nem sequer te dignaste a dizer-me uma palavra.

Dä®k Añgë£ - Eu não queria que fosse assim, só que aconteceu, e eu não pude evitar. A minha vida modificou-se, e daquilo que eu era nada mais restou. Eu perdi-me, e sobrevivo sem saber se ainda acredito no amor.

Å®t Øf £övë - Pelo menos podias ter-me dito alguma coisa, não achas?

Dä®k Añgë£ - O tempo foi passando... e a coragem faltando... quantas vezes eu pensei em dizer-te que o meu amor por ti não mudou.... mas o meu silêncio foi maior...

Å®t Øf £övë - Fazer as coisas custa! Era bom que não tivéssemos que sofrer para conseguir aquilo que queremos. Infelizmente isso nem sempre é possível, e na minha opinião, sofrer é duro, mas pior é não conseguirmos vencer os nossos medos.

Dä®k Añgë£ - Eu sei, falar é fácil, mas tu também não consegues fazer isso!

Å®t Øf £övë - Mas pelo menos tento!

Dä®k Añgë£ - Muito bem, e isso serve-te para quê? Para nada!

Å®t Øf £övë - Olha, vou ser muito sincero contigo. Tenho tido muitas saudades tuas... saudades dos nossos encontros, dos nossos beijos, das nossas conversas, de sermos felizes, de tu gostares de mim, e eu gostar de ti. Só que agora parece que tudo acabou, e o nosso amor deixou de existir.

Dä®k Añgë£ - Ouve...

Å®t Øf £övë - Espera deixa-me acabar. Houve uma altura em que eu julguei que podiamos ser felizes... pelo menos eu achava que sim...

Dä®k Añgë£ - É verdade eu também senti isso...

Å®t Øf £övë - Desde esse tempo mudaste muito, e eu queria somente que continuasses a ser tu própria mais nada...
(ela voltou a interromper)

Dä®k Añgë£ - Eu só queria dar um pouco de espaço à nossa relação. Quis distanciar-me, guardar-me, tentar o que nunca consegui, e se calhar nunca consegui porque nunca tive a coragem de tentar, que era afastar-me de ti. Procurei outras pessoas, outras coisas, percebes?

Å®t Øf £övë - Percebo o que tu dizes, mas não a razão de ter de ser assim...

Dä®k Añgë£ - Eu nunca te quis magoar, só que aconteceram algumas coisas que me fizeram mudar.

Å®t Øf £övë - Isso sei eu. Desde os tempos em que nos deixamos de ver, muitas coisas se passaram. Eu sei que também te magoei.

Dä®k Añgë£ - Eu não estou chateada contigo, só que andava um bocado cansada de tudo, e queria parar um bocado para descansar.

(continua)

31 Comments:

  1. lazuli said...
    Muito bom este diálogo. Já se percebia um pouco ..de longe em longe.
    Percebia-se alguma perturbação entre os dois, e agora..ei-la transformada num esplêndido diálogo, vivo, enérgico, vibrante.

    Beijos
    Miosotis said...
    Interessante a tua ficção! Poderia ser um diálogo de cada um de nós...

    A propósito, é natural q ela se tenha cansado... com noites tão 'ocupadas' como as tuas nestes blogs q se estendem pelo teu espaço :)
    bjs
    Maria Carvalho said...
    Diálogos possíveis. Óptimo quando eles existem. Beijos.
    sou só Pedro said...
    Tenho lido...

    É uma conversa "daquelas" por que provavelmente muitos de nós já passaram! E onde se termina, ou alicersa uma relação!
    isa xana said...
    chego a meio deste diálogo... tenho que vir lê-lo desde o início:)

    *
    Andrye said...
    Em qq relaçao uma das coisas mais importantes é o dialogo..sem ele n vale a pena..eu p experiencia propria sei.. Fico a espera do resto to curiosissima!! :P
    um beijo grande e boa semana**
    Porquê? said...
    Querido Art,
    pelo menos tiveste a oportunidade de dialogar e esclarecer tudo!
    Pode ser que um dia mais tarde essa oportunidade venha a surgir para mim mas será já tarde demais... já não sinto a necessidade dizer o que ficou "entalado" na altura....
    beijinos e boa semana!
    Paty said...
    Art,
    Fico sempre na dúvida se este acontecimento já se perdeu no tempo, se se encontra naquela barreira tenue entre o desejar e a realidade...se aconteceu, fico feliz, de certo modo foi um principio. Acredito que essa oportunidade tem uma razão de ser, pois ninguem vira as costas e simplesmente desaparece para depois voltar a falar como se não tivesse conhecido o passado. O universo às vezes dá uma mãozinha...
    Pudesse eu ter essa oportunidade, desta vez não seria para juras de amor, mas simplesmente esclarecer magoas, recentimentos, dor e isso por vezes e suficienete para nos fazer fechar o ciclo e continuar.
    Beijos e obrigado pelo teu comment
    Porquê? said...
    já podes ir ver como não estão paradas as coisas por lá....
    looool
    bjs
    Papoila said...
    Gostei muito da tua visita.
    Vim retribui-la, e encontro este óptimo diálogo. Seja lá o que acontecer depois só por ser possível é muito bom.
    Beijo
    Freyja said...
    saudades...que siempre estan
    el silencio que duele, y el dialogo gastado de necesitarse
    me encanto este hermoso dialogo, algo que a veces olvidamos por correr por la vida
    gracias por tus saludose en Sucesos, sintonia de amor que siempre deja hablar el alma y que a veces no se logra llegar
    mil besos y mil gracais por tu compañia y que sea una bella semana, un abrazo grande



    besos y sueños
    so12 said...
    Diálogo triste como todos os fins... mas no entanto...não! É sempre triste. Mesmo quando ainda há uma luz no fundo do tunel, quando se chega a um diálogo destes, alguma coisa agoniza dentro de nós...beijinho.
    Espero vir a ler algo mais...menos...triste!
    meialua said...
    Até breve...

    Beijos Mágicos*
    http://suinoecultura.blogs.sapo.pt said...
    Hoje é dia de comentar, por isso aqui estou. Bom, devo dizer que gostei, talvez por ser uma conversa séria mantida de seriamente. Também já tive momentos em que tentei manter uma conversa destas, nas calmas e sem grandes alaridos, no entanto, tudo acabou numa grande peixeirada, com arremesso de objectos e tudo. Apesar do assunto melindroso, gostei da forma diplomática como isto está a correr, porém ainda não acabou. Será que o bate-boca e o sai-de-baixo ainda estão para vir? Duvido, parecem-me muito sensatos, mas tudo pode acontecer... Apesar de tudo, desejo-vos muitas felicidades, juntos ou separados. Credo, estou tão sério, vou bater com a vabeça no blog para ver se me passa a seriedade. PUM! Obrigado.
    spyvspy aeon said...
    Cumprimentos, Caro Art. Um dialogo de um amor que por vezes tem de dar a sua pausa, para renascer mais forte.
    Abraços
    Carlos Barros said...
    esse é o principio de tudo... o diálogo...depois vem a degradação, sons mudos e (ab)surdos..

    CONVITE- 7 de JUNHO LISBOA

    Estão todos Convidados

    Dia 7 de Junho O Autor Carlos Barros, a Corpos Editora e o Clube dos Jornalistas tem o grato prazer de convidar V.Exa., família e amigos para o lançamento do Livro - VAZIO DE CORES, no jardim do Clube dos Jornalistas, no dia 07 de Junho Quarta feira, a partir das 18 horas.
    na Rua das Trinas, 127, -na LAPA- Lisboa

    -Vazio de Cores- será apresentado por:

    - PAULINO COELHO - Programa da manhã da Radio Renascensa.

    - Ex Ricardo dePinho Teixeira


    Será servido um "Copo".






    Vazio de Cores


    " Nem sempre o que parece é, nem sempre o que é parece. São os impasses da vida, ou nem por isso que nos fazem pensar em "coisas".

    O ponto de partida destes contos foram quase sempre o nada, nada mesmo.

    Cada conto saiu da imaginação que me faz viver e sonhar, mas partiu sempre da primeira frase, todos eles nasceram sem destino, mas com uma vontade muito própria, ganharam vida e vontades, grande parte das vezes de um enorme vazio de ideias, mas lá se arranjava um "espacinho" para conspirar e deambular, por mais uma "estória".

    As minhas duvidas sobre a minha capacidade de inventar e construir, mantém-se intactas, adoro duvidar de mim, adoro ter dúvidas, adoro descobrir que ás vezes nem eu acredito em mim, isso faz de mim um perfeito idiota, ai fica mais uma duvida qual o idiota que eu sou!

    Por isso são os nadas que foram passando pela minha cabeça que estão aqui retractados, bem ou mal, cabe a quem os lê avaliar, mas atenção…"
    Friedrich said...
    Os diálogos são sempre necessários, mesmo quando nos dizem que nada mais existe. Mas pelo menos, ficamos mais tranquilos na simples rejeição ficando apenas esse passado que se viveu...

    Abraços

    Hoje já deu para comentar, mas a música não pareceu, será por isso? Talvez
    JPD said...
    Olá Art

    Veremos se esta minha tentativa de deixar um comentário resulta.
    Já mais de uma vez não me foi possível, tanto aqui como no Atoardas.
    Um abraço
    carteiros said...
    Amigos dos meus amigos, meus amigos são :)

    Tens cartas na manga?
    Adryka said...
    Olá meu querido amigo, sabes dizem que amores zangados são amores dobrados mas eu confeço-te que não me sinto nada confortável com zangas e depois as reaproximaçoes e as questões o ( porque e porquê), para mim é aterrador prefiro ao fim da zanga falar logo.Beijinhos
    Maria said...
    ART OF LOVE THANKS FOR YOUR VISIT AND COMENT! "O AMOR é assim feito de diálogos encontros desencontros interiores e exteroires,é a beleza da rosa que nos fáz esquecer a dor que apanhamos quando somos picados, não podemos na realidade ignorar a dor que nos causa, mas podemos sempre olhar para a beleza o perfume que a rosa nos oferece: COMO O OURO PASSA PELO CRISOL PELO FOGO,ASSIM, NOS TEMOS QUE PASSAR PELO FOGO... PARA ENCONTRAR O VERDADEIRO AMOR!!! DEVEMOS ARRISCAR TUDO NO AMOR! TUDO!
    Freyja said...
    paso a dejarles un abrazo grande y que tengan un lindo fin de semana



    besos y sueños
    Ana Nunes said...
    Por vezes, o diálogo é bom, contudo eu neste caso tinha lhe saltado para a espinha, pelo que descreves no dialogo ela tinha vontade disso

    beijinhos
    AninhaPipoca
    http://aninhaspipoca.blogspot.com/
    Miguel said...
    Fico á espera do novo episodio ...

    BOM FDS ...

    Bjks da Matilde
    cidadão comum said...
    não me digam que ainda não se aperceberam que o convento da crítica agora está neste lugar? cumprimentos e bom fds.
    Alexandra said...
    Art,

    seja este diálogo real ou vitual, poderia ter acontecido ou, já aconteceu com muitos de nós, possivelmente!

    Aproximo-me um pouco de palavras já aqui ditas " Esse é o princípio de tudo ... o diálogo ... depois vem a degradação..." mas não em tudo. Acho que existe sempre uma esperança!

    Mas, com este tipo de afastamento, tenho as minhas reservas...

    No entanto, se algo daqui fôr real, esta é uma etapa a ultrapassar e, desejo que seja bem ultrapassada. Vale sempre fazer tudo para um reencontro, seja ele breve ou por longo tempo!

    Bom Fim de SEmana!

    Beijos
    lena said...
    Art, fui ler desde o principio e surpreendes-me

    pela escrita e pela forma como conduziste todos os momentos que descreves.
    o diálogo é muito verdadeiro, digo até possível
    isso é que me tocou e muito

    vou continuar a acompanhar-te

    beijinhos meus querido amigo e o meu abraço

    lena
    Carmem L Vilanova said...
    Amigo, hoje passo para deixar-te muitos sorrisos para um fim de semana feliz!
    Beijos... muitos!
    boxexas said...
    Querido Art, há que aprender muita coisa, aceitar que nem sempre o que oferecemos nos é retribuído da mesma forma, que a felicidade que deslumbramos sem imaginar um fim, também o tem. O amor é um sentimento qu envolve tanto, que mexe demasiado com as nossas emoções, mas o diálogo é mesmo uma peça fundamental para seguirmos o nosso caminho e acreditarmos na felicidade novamente. Aguardo o resto da tua história e deixo-te um beijinho enorme*** ;-)
    Alma de Poeta said...
    Ficção ou realidade? ambas se podem confundir, e no entanto tanto uma como outra, relatam acontecimentos sentidos e reais.
    Deixo um beijo e desejo de boa semana
    Estrela do mar said...
    ...pois acontece a muitos...e dá q pensar...espero pela continuação Art:)...


    jinhosssssssss

Post a Comment