Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

Espelho

Um dia, em certo momento da nossa vida, olhamos para o espelho e vemos que não conhecemos a pessoa que ele reflecte.
"Quem é este?" - perguntámos.
Na nossa vida, surge então, em forma de pergunta, a resposta:
"Quem decide a tua história pessoal? O amor se o quiseres. A tristeza, se a deixares" - grita forte o coração.
Quando ouvimos o grito (e é impossível não o ouvir pelo menos uma vez na vida) decidimos se o queremos seguir, ou se o vamos ignorar.
Se o ignoramos, passamos a fazer aquilo que quisermos, e a viver como entendermos por bem.
Se o ouvirmos, percebemos a nossa missão, e vemos os passos a dar para a cumprir.

36 Comments:

  1. menina said...
    Olá padrinho!!
    Não vi a minha prenda da Páscoa!!! esqueceste-te de mim!!
    :-((((


    PS... acerca do teu post... devo dizer-te que por mais que o espelho fale connosco somos sempre nós que temos de responder-lhe...
    beijosss!!!
    meialua said...
    Nós mesmos fazemos o nosso caminho, e depois, chamamos-lhes destino, embora acredite que nada aconteça por acaso, e que muita da nossa história está já escrita, porque teria que ser mesmo assim... ;)

    Beijinhos*
    Dulcineia said...
    O espelho pode ser uma "voz" a ter em conta.O pior é quando,pela manhã,o espelho nos diz que temos mais uma cabelo branco,uma nova ruga,mais três olheiras..enfim!
    Mas não vai ser por isso que vamos desistir...
    Bora lá ver o lado positivo da coisa...
    Beijinhos
    Maria Carvalho said...
    Não sei se será bem assim...o espelho acaba por reflectir aquilo que nos queremos que ele reflicta. Beijos.
    Adryka said...
    Olá meu querido amigo, essa é que é a verdade, mas quantos de nós por medo n/ aceitamos a mudança! quantos meu bom amigo...Respondi-te com uma pergunta eu sei mas quantas vezes eu tenho tentado a resposta e por medo não consigo. Beijinhos
    Anonymous said...
    se o espelho fala contigo...lamento informar-te mas acho que se passa alguma coisa de errado nessa cabecinha... as melhoras
    Andrye said...
    Os nossos caminhos somos nós k os escolhemos..e so a nós cabe a visão q temos quando nos olhamos ao espelho..p vezes é mais falar do k agir..mas acima de tudo n desistir do caminho da felicidade. Gostei mt deste post.Um beijo**
    Paty said...
    E como doi por vezes olhar me no espelho...Pior do que não ouvir o coração é sentir que a mudança, quer sim quer não tem e vai mesmo acontecer!
    Beijos
    Lis57 said...
    O espelho deveria ser a voz do nosso subconsciente, ajudando-nos assim a sermos cada vez melhores, reflectindo nossos erros para que os possamos reparar.
    Squeezy said...
    este teu post fez-me pensar uns largos minutos... gostei de aqui ter passado hoje a esta hora...


    obrigado...
    Miosotis said...
    O espelho apenas reflecte o nosso pp sentir...ñ tem respostas, apenas verdades presentes em nós!

    Há q saber lê-las 'cristalinamente'

    bjs reconhecidos em tom azul-rei, cor desta noite em q colhi a 1ª rosa na minha janela.
    Alexandra said...
    Outra grande verdade, esta que aqui colocas, Art of Love!

    Às vezes nem nos queremos olhar no espelho, porque já sabemos o q este nos vai dizer e, as escolhas são sempre muito dificeis de fazer... é preciso por vezes muita coragem, para aceitar a resposta que o espelho nos dá!!!

    Adorei este post!

    Bjs
    Princesa said...
    Olá Art,
    Já não vinha aqui ha um tempinho, e deparo-me com um espelho algo perturbador...
    Gostei do teu post, de facto o espelho não engana, no máximo tentamos enganarmos a nós próprios por vezes...

    Deixo-te um beijo sentido, grande abraço, de espelhos para espelho!

    Princesa
    Chocapic * said...
    olá!=D

    dscp estar a comentar, mas achei q o teu texto, aparentemnt singelo, traz implicito muita verdade.. qts vezes o simples olhar ao espelho nos dá força para viver?.. mts.. nnc tinha percebido o poder do espelho, até há uma semana atrás.. ele simplesment fez-me sorrir.. e enfrentar tdo o q me tinha acontecido.. hoje, já n vivo sem uma espreitadela (n, pela vaidd, ms sim pelo ânimo q isso me traz)...

    talvez durante ests 15 anos eu ainda n saiba nd da vida, ou s sei, ainda considero q tenho mt mais para aprender!... continua a escrever, pq tens imenso jeito... ;)... e saber escrever (bem e com alma) é uma das melhores coisas q existe... qero aprender a fazê-lo, pq é algo q me dá força para enfrentar os mais diversos problemas q mts vezes me fazem considerar q a minha existência n tem significado!... problemas d adolescência ao quadrado!..x'D

    s puderes visita o meu espaço... sou uma novata em blogs, e tb em escrita.. ms faço o meu mlhor!..;)
    yulunga said...
    Parte o espelho!
    Nefertiti said...
    Reflexo

    Quem és?
    Quem és tu que me olhas?
    Por que me olhas?
    O que me queres?
    Tento desviar o olhar…
    Mas insistes em aprisionar-me a ti!
    Deixa-me!
    Estou cansada que me olhes e nada me dizes!
    Quem és tu?

    Rosto de menina
    que transformas em mulher…

    Que máscara é essa que usas,
    que não me deixa entrar em ti?
    que te afasta da felicidade?
    Não sei quem és…
    Não sei o que me queres e porque me olhas!
    Sorris para mim…
    e encantas-me como uma serpente…
    enfeitiças-me, como se uma feiticeira fosses!
    Mas quem és?
    Será que sempre aí estiveste e
    eu não te vi ou nunca te quis ver?
    Observo-te com atenção…
    procuro perceber porque continuas aí a olhar-me…
    Apenas me olhas… não falas…
    … não temos forma de comunicar!

    A verdade é que todos nós, um dia, nos questionamos sobre quem somos.
    Concluo, na observação e analise que faço de mim, que a pessoa que se me aparenta mais desconhecida, sou eu mesma.
    Afinal, quem sou eu?

    Albert Camus, Prémio Nobel da Literatura em 1957, na sua mais fascinante narrativa, redigida brilhantemente na primeira pessoa, intitulada “A Queda”, leva-nos numa espécie de viagem ao fim da noite das infâmias da espécie humana. Menciona a certa altura, que um dia, na hora menos pensada, ouvimos o “grito”, aquele que vem de dentro de nós, aquele que nos chama à razão…

    “Em frente ao Vert-Galant, eu dominava a ilha. Sentia subir em mim um vasto sentimento de força, e, como direi?, de plenitude, que me dilatava o coração. Ergui a cabeça e ia acender um cigarro, o cigarro da satisfação, quando, no mesmo momento, estalou um riso atrás de mim. Surpreendido, voltei-me bruscamente: não havia ninguém. Virei-me para a ilha e de novo ouvi o riso pelas minhas costas, um pouco mais distante… Fiquei ali, imóvel. O riso diminuía, mas eu ouvia-o ainda distintamente por detrás de mim, vindo de parte nenhuma… este riso nada tinha de misterioso; era um riso bom, natural, quase amigável, que repunha as coisas no seu lugar… em casa, dirigi-me à casa de banho para beber um copo de água. A minha imagem sorria ao espelho, mas pareceu-me que o meu sorriso era dúbio… afinal, quem sou eu?”

    Art, desculpa a delonga do meu comentário, mas apeteceu-me monologar um pouco! :) sobre o quanto me fizeste pensar com este teu texto.
    Beijinhos.
    Micas said...
    Eu gosto de espelhos, ou melhor, do que eles simbolizam. Todos temos um outro "EU", esse que fica do outro lado do espelho. Eu gosto de falar com a minha sombra, com o meu lado obscuro, se o soubermos entender saberemos sempre qual o melhor rumo a tomar neste caminho que é a nossa passagem por cá. Gostei deste texto que apela à reflexão.
    Beijinho
    Anonymous said...
    olá Art, hoje vim visitar-te.
    O espelho costuma dar-me respostas, até porque é o meu reflexo... Na verdade é o que vejo de mim, precisamente de forma simétrica ao que os outros vêm...
    As decisões que tomo ao espelho logo de manhã são quase sempre inspiradas pelos murmúrios da almofada, que é a minha melhor conselheira quando ouço os gritos do coração.
    Gostei muito do teu texto.
    Beijo
    _m0nd_ said...
    Adoro o que escreves...
    Visita-me!

    Beijo no coração*
    boxexas said...
    O espelho reflecte-nos sempre a verdade, não existe forma de enganá-lo, de não escutar o que o coração tem para nos dizer. Por vezes, sentimo-nos perdidos, sem saber que caminho tomar, ignorando todos os sussurros que nos envolvem. No entanto, as decisões sobre que caminho escolher e qual o trilho a percorrer, só depende de nós mesmos, e eu acredito, que o coração e que a verdade dos nossos sentimentos são uns sapatos fantásticos para nos acompanhar!! =) Beijinhos enormes para ti!**
    meialua said...
    Penso que o espelho acaba sempre por reflectir aquilo que realmente somos...

    Beijokas e bom fim de semana*
    Rukinha said...
    acontece mtas vezes....
    Luís Miguel said...
    Opto pelo grito. Sempre o fiz. E tu?? :)
    .
    .
    .
    A Rapariga said...
    Há sempre o outro lado do espelho. Beijos
    Estrela do mar said...
    ...passei para deixar um beijinho e desejar-te um bfs...
    Anonymous said...
    gosto mto dos textos e considerações que vc faz...
    bjos e bom fim de semana.
    alyia said...
    Há outra opção que é partir o espelho
    (desculpa, isto é do cansaço já só sai asneira)
    Cristina said...
    Nao poderia ter sido dito de melhor forma!
    Um beijinhu
    TANIA said...
    OI,OBRIGADA POR SUA VISITA,ESPERO VER-TE MAIS VEZES POR AQUI. BJO E UM OTIMO FIM DE SEMANA.
    Adryka said...
    Olá meu querido amigo, hoje venho trazer-te os votos de um bom fim de semana e para te comunicar que no meu Crepúsculo exte um novo membro ( o Fernando do Fraternidades) espero que ele seja bem recebido por ti, e que seja do teu agrado as crónicas dele. Beijinhos amigo
    GNM said...
    Art, várias vezes senti o
    mesmo.

    Escrevi até um poema chamado:
    O LOUCO DO ESPELHO.

    Nem sei se és de Lisboa, mas
    deixei-te um convite no
    EXTRANUMERÁRIO que gostaria
    mesmo muito que aceitasses.

    Fica bem e
    bom fds...
    GNM said...
    Óra...
    Fui buscar o tal poema:


    O LOUCO DO ESPELHO

    Não conheço aquele homem infeliz,
    Que me imita em movimentos afinados.
    Mantém-se calado… Nada me diz,
    Fita-me de olhos firmes mas cansados.

    Encontro-o pela manhã, todos os dias!
    Entra em minha casa silenciosamente,
    Pergunto: “Quem és? Por que me copias?”
    Emudece! Olha-me e ignora-me de frente.

    Será que as lágrimas lhe sufocaram a fala?
    Tem aspecto esgrouviado, olhar vermelho,
    Que amarguras serão aquelas que cala
    O homem estranho que aparece no espelho?

    Um dia, escorria sangue do meu rosto.
    Encontrei-o. O sangue escorria-lhe também!
    Cerrei as mãos, esmurrei-o com gosto,
    Desfi-lo em cacos… tornou-se ninguém!

    GNM
    Papoila said...
    Olá Art,
    Vim só dizer-te que aquele anónimo de 18 de Maio sou eu...
    Beijo
    MalucaResponsavel said...
    Ola, escrevi um texto sobre o que vemos ao espelho, se nós ou o nosso reflexo, q aguarda publicaçao, mas ao ler o teu, percebi q nao sou eu apenas a ter essa duvida... duvida de qd olha para mim, c olhos de ver... jks
    js said...
    ...só resta uma a certeza. A de que quando olhamos o espelho jamais nos veremos como os outros nos veêm a nós...
    FORÇ'AÍ!
    js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt
    Lenix said...
    oi... paxei por aki e adorei os textos... espero k n s importem d usar um no meu fotolog.. n s preocupem k eu vo citar a fonte... continuem axim a escrever estes textos lindos... jks e s kiseresm dps paxem por lá www.fotolog.net/lenix
    **

Post a Comment