Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

Não é fácil manter um blogue. Os blogues inicialmente surgiram com a finalidade única do autor escrever os seus devaneios num género de diário. Com o passar do tempo, começaram a ser utilizados para se escrever sobre os mais diversos temas.

Se quisermos ler blogues sobre política, sabemos a quais nos dirigir, se quisermos ler blogues sobre suspeição de tudo e mais alguma coisa, sabemos onde os procurar, se quisermos ler blogues sobre corrupção no futebol sabemos onde ir procurar. Aquilo que nos move quando criamos um blogue, está directamente relacionado com aquilo que somos, com aquilo que são os nossos interesses e gostos pessoais.

A mim pessoalmente, dá-me gosto ler blogues de amigos, de pessoas minhas conhecidas, blogues sobre o amor, blogues de música, e blogues de humor. Tudo o resto pouco me interessa. Gosto de ler blogues que me cativam pela sua escrita sem erros ortográficos ou gramaticais, aqueles onde posso ver fotografias fabulosas com a qualidade que é impossível ter num jornal ou mesmo numa revista.

O mundo dos blogues para mim não se fica por aqui. Tenho tido a oportunidade ao longo dos tempos de conhecer gente interessante que por outra via muito provavelmente não seria possível. Pessoas com educação e seriedade, que tal como eu utilizam os seus blogues para ali escreverem o que lhes vai na alma e partilharem as suas ideias com pessoas que na grande maioria das situações nem se conhece, o que provoca uma sensação de partilha inexplicável.

Há no entanto quem não entenda isto. Uns pensam de uma maneira, outros de outra e temos que respeitar. E quando há encontros? Maravilhoso. Servem essencialmente para primeiro que tudo, conhecer pessoalmente aquela pessoa que até comenta os nossos textos, fotos ou poesias e se torna um companheiro diário de outro ponto do país que por outra via era impossível conhecer.

Aqui trocam-se as nossas ideias pessoais e respeitam-se as ideias dos outros mesmo sendo diferentes. Os blogues permitem-nos trocar opiniões, debater profundamente sobre aquilo que achamos serem os nossos problemas, os problemas do país, ou da nossa região. Permitem-nos partilhar e levar mais longe fotografias das nossas terras e desta forma promovê-las, bem como permite-nos descobrir pessoas com elevados conhecimentos em diversas áreas e assim colher os frutos de outras sabedorias. Há no maravilhoso mundo dos blogues mais do que podemos imaginar...

5 Comments:

  1. Dulcineia said...
    Pois.E quando há pessoas que de certa forma foram responsáveis pela descoberta deste mundo maravilhoso,importa reconhecer essa virtude de amigos como tu Art e a minha querida Elsa.Foi através de vós que fiquei fascinada com esta familia virtual,muitas vezes tão importante para os meus dias andados,Um beijo enorme para vocês que me trouxeram para este diário virtual,encantador...
    Dä®k Añgë£ said...
    Art,
    Tu também foste o responsável por eu ter entrado neste mundo dos blogs, e até por eu mesma ter criado o meu próprio blog.
    Tenho gostado muito da experiência... cada vez mais.
    Bjos.
    Nefertiti said...
    Art,
    Ouso questionar a tua afirmação.
    É difícil manter um blog?
    Depende.
    Depende do nosso objectivo ao cria-lo.
    Se a nossa intenção é chamar a atenção d’ outrem, sim, certamente será difícil, exige de nós garantir um ritmo, criatividade (muita criatividade) e sobretudo disponibilidade.
    Se, no entanto, o criamos com o único intuito de criar o nosso canto, então não será tão complicado assim.
    Em jeito de confissão, posso dizer que o meu nasceu da minha necessidade de deitar para fora o que me oprime interiormente, uma auto-penitência talvez. É a forma de me lamentar de e para mim sem “incomodar” ninguém. Mantenho-o como um verdadeiro diário que nunca tive. Com maior ou menor assiduidade, mas sempre e só quando a alma me grita, lá vou colocando os meus “devaneios”. Quando preciso “espirrar” é lá que o faço. Não o criei para outros me lerem, mas para eu me ler e tomar consciência, com o passar do tempo, de quem eu sou. Lá ficam registados os meus pensamentos mais íntimos… palavras escritas que não suscitam qualquer duvida… a memoria falha, ou intencionalmente fazemos com que falhe, mas o que fica escrito está lá, é prova de que aconteceu ou sentimos.
    “ O maravilhoso mundo dos blogues”
    Sim, também o acho. Aqui encontrei o que me faltava no meu dia-a-dia, o contacto (mesmo que só através da leitura) com outras vidas, outras vivências, outros sentires, outras formas de olhar o mundo, o alento às minhas dores… é encontrar o sentir de que ao ler e rever-me em outras vidas de alguma forma colmato esta sensação de estar sozinha.
    A mim também me encanta ver e ler um texto bem escrito e sentido. Denota zelo por parte de quem escreve; sinto até que se trata de respeito, pela nossa língua e por quem nos lê.
    Direccionei a minha vida profissional para os números, com muita pena minha a língua portuguesa e a escrita está um pouco em segundo plano. Mantenho o mais possível a leitura em dia e cultivo as palavras dentro de mim. Não quero com isto dizer que não cometo erros gramaticais, verbais ou até ortográficos! Peço, até, que me corrijam, aceitarei e agradecerei. Estou aqui não para ensinar mas para aprender.
    Alongo-me e não é minha intenção enfadar, para além de deixar o meu comentário ao teu texto, quis também deixar um “pedaço” de mim.
    Há sim, no maravilhoso mundo dos blogues mais do que eu poderia imaginar!
    Beijinhos
    ZAG said...
    Ao Art em especial, a todos em geral... atrasado como sempre mas de muito boa vontade!

    Um estrondoso, generoso, grandioso, enriquecedor e muito muito muito sexy ano de 2006!
    Alma Azul said...
    Não sei se é difícil... É verdade que precisamos de tempo para ele, tal como tudo na vida precisa de ser "cultivado" para se manter vivo... talvez também seja assim com os blogs. Mas isso depende muito da importância que lhe dás no sentido se ele é para ti ou para os outros...
    Um beijo de Feliz Ano novo para ti Å®t_Øf_£övë

Post a Comment