Profile | Facebook | Videos | Fotos | Portofolio | Ebay | Leilões.net | email |

É fácil saber se um amor é o primeiro ou não. Se admitirmos que possa ser o primeiro, é porque não é.

O primeiro amor só pode parecer o último amor. É o único amor, o máximo amor, o irrepetível e incrível. Não há outro amor. O primeiro amor ocupa o amor todo. Nunca se percebe bem por que razão começa, mas começa, e acaba sempre mal só porque acaba. Todos os dias parece estar mesmo a começar porque as coisas vão bem, e todos os dias parece que vai acabar porque as coisas vão mal.

O primeiro amor dá demasiadas alegrias, é por isso que a alegria dói, porque parece que vai acabar de repente. O primeiro amor não deixa de parte um único bocadinho de nós, ocupa tudo, leva tudo e não deixa nada. Diz-se que não há amor como o primeiro e é verdade. Há amores maiores, amores melhores, amores mais apaixonadamente vividos e mais longos (quase todos), mas não há amor como o primeiro. É o único que estraga o coração e que o deixa estragado para sempre.

O primeiro beijo então... é sempre uma confusão, vemos tudo a andar à volta e não se consegue parar. A outra pessoa assalta-nos e deixa-nos tontos, isso apesar de ser tão tímida e inexperiente como nós. Não há regras para gerir o primeiro amor. Se fosse possível ser gerido não seria o primeiro. No primeiro amor sofre-se principalmente por acabar. Anos mais tarde ainda se sonha retomá-lo, reconquistá-lo, acrescentar um último capitulo mais feliz, mas não pode ser...

O primeiro amor é um milagre que sentimos que acontece na nossa vida. É tão separado do resto como se fosse uma primeira vida. Depois do primeiro amor morre-se. Quando se renasce é uma nova vida e uma forma diferente de ver o amor. Os novos amores são maiores, são mais verdadeiros, respeitam mais as personalidades de cada um, são mais construtivos, são tudo aquilo que se quiser. O segundo, o terceiro, o quarto, por muito diferentes que sejam, são mais parecidos uns com os outros. São amores mais maduros e adultos.

O primeiro amor não forma conjunto nenhum. O amor foi a única coisa que nos prendeu, e como toda a gente sabe, isso não chega para quase nada. É preciso respeito, compreensão mútua, uma certa amizade. Para se fazer uma vida a dois que valha a pena, o amor não chega, porque não se vive só dele.

É por ser insustentável e irrepetível que o primeiro amor não se esquece, parece que foi impossível ter acontecido, não nos levou a parte nenhuma... o primeiro amor deveria ser o primeiro a esquecer-se. Seguimos caminho para outros amores, mais suaves, mais civilizados, menos exigentes e mais compreensivos.
Será por isso que o primeiro amor nunca é o único?
Que lindo seria se fosse mesmo o único e que não houvesse outro...

E com vocês como foi o vosso primeiro amor?

37 Comments:

  1. lobices said...
    ...o "primeiro amor" é isso mesmo... é o primeiro, único e irrepetivel... aquele que acaba sempre porque sabemos que vai acabar... porque não tem continuidade, porque não tem igual, não tem par... é "o" primeiro amor; é ele que recordamos como aquele que idealizamos; como dizes, os outros a seguir são amores maiores e mais elaborados porque já náo são como o primeiro, aquele que nos faz lembrar ainda dele... como foi o meu primeiro amor?... foi isso, como dizes... irrepetível...
    Pecola said...
    Ainda estou a viver o meu primeiro amor.. :):):)
    AlmaAzul said...
    O meu também será para sempre o primeiro... aquele moço lindo...Yakiry, o primeiro que amei naqueles breves dias de Setembro e que partiu... Yakiry o malabarista de circo. Nunca mais o vi... com os olhos, apenas coma magia do primeiro amor.

    Adorei o blog:) (resistindo para não fazer um trocadinho com o título :lol: )
    Carol-Nando said...
    Adorei os textos e poemas do teu blog. E agradeço por vc ter passado no nosso blog com um comentário tão belo. Prazer em conhecer! Mas vai aí uma sugestão: O fundo negro com letras vermelhas torna a leitura um pouco difícil... que tal mudar? Você escreve muito bem e espero poder voltar por aqui
    Lino Gomes said...
    e não há como o primeiro...
    ZAG said...
    Bem cá estou, li gostei da abretura... o tema quer se queira quer não é sempre tábu... isto quer dizer que me vou esticar um pouco... e tentar te ajudar nessa defenição tão subjectiva que é o amor e quem sabe a noite de ontem... Sem sombra de duvida que o "primeiro amor" será sempre o primeiro amor concordo com a quase plenitude da tua explanação, gostaria de a continuar e completar...
    Há que ver no meu entender e possivelmente nos demais que a vida continua para além do primeiro amor. Eu geralmente digo que evoluimos nele, na busca do "Amor eterno" é o nosso cavalo de batalha, a nossa saga.
    A vida para mim é feita de "primeiros amores" pode haver um que seja aos olhos inultrapassavel, mas no entanto se não o guardamos então significa que tem de haver um outro maior... se por alguma razão correu mal ou nos foi negado (sim porque por mais que se ame temos de ser corespondidos, há sempre uma segunda metada para chegar ao todo, pleno).
    Pode haver quem ache que se mentiu naquele momento quando se disse "AMO-TE!", mas naquele momento era mesmo isso que se sentia, não importa se no dia seguinte já não... o dia seguinte é o dia seguinte e o amor por mais que se queira não é eterno mas sim uma busca que poderá ser eterna.
    Acredityo piamente que existe um amor possivel e esse sim pleno, há que ter "fé" acreditar que sim e saber esperar e estar preparado para ele. E como se sabe se é o tal???? Não sabe, mas na altura certa descobre. Tarde Demais???? nunca é tarde demais para nada (bem pelo menos neste tema).
    Acredito no Amor sim... mesmo com tadas as razões e mais algumas para o não fazer ou acreditar. E muito sinceramente tenho alguma "pena" pelos que não seguem o coração (VAI ONDE TE LEVA O CORAÇÃO!), os fracos que por alguma razão não souberam espera e não acreditaram que um amor maior, "Aquele" estava para vir...
    Eu cá, continuo a minha saga, hei de experimentar tantos amores, que hei de encontrar o meu... se é que ainda não o encontrei...
    ZAG said...
    bemmmmm, não sei se hei de levar isso como cumplimento ou prejurio... vou me debruçar sobre o assunto... de qualquer das maneiras muitas das mulheres publicadas são "minhas" foram, ou serão ;)

    Abraço
    Gilda said...
    O primeiro amor... eu diria mais a primeira paixão, aquela que nos deixa completamente entorpecidos(as), que nos faz perder a visão e que nos faz sempre sofrer... essa que normalmente teimamos em achar que não ficou resolvida e que muito mais tarde, já depois de anos de experiência percebemos que realmente "chovemos demasiado tempo no molhado" e então termina. Foi num verão, bem longe no tempo... Beijo
    Anonymous said...
    olá, foi com agradavel surpresa que vi o teu coment no meu blog, por isso vim dar uma espreitadela e gostei do que li. beijos

    Olhar Profundo www.juntos-a-olhar.pt.vu
    Anonymous said...
    MI primer amor .uff!!!! bellos recuerdos,bellos momentos con el promer amor se aprende a amar ;) Bryda
    http://www.blogs.ya.com/tengoqueolvidarte/
    Celestine said...
    Eu vivo no meu 1º amor, um amor quase proibido, uma paixão avassaladora que me ajudou a enfrentar alguns medos que tinha... aquele amor em que só existe aquela pessoa que amamos, mais ninguém, um amor cego...

    o problema é que esse amor mal se concretizou, não sei se algum dia começou e se já acabou...sei que o amei a ele e ele também sabe, mas não sei se ele me amou ou ao menos gostou de mim...e isto tá-se a arrastar, sem se resolver...
    qts2809 said...
    Hola, he visto tu comentario en mi blog: http://qts2809.acelblog.com/
    Gracias por tu visita.
    Tu blog me ha gustado mucho y la imcluyo entre mis preferidas.
    Saludos desde España - (Espanha)
    Mónica said...
    E por muitos k passem o primeiro amor nunca se eskeçe.Estou de volta,vou aproveitar para ler os posts k tenho em atraso.Beijokas****
    Anonymous said...
    Acho que ainda estou a viver o meu primeiro amor. Tive algumas paixões antes, mas amor mesmo, só com este namorado, com quem já namoro há 7 anos... :) O teu blog é mto porreiro. Gostei.
    http://sunshine.blogs.sapo.pt/
    http://pequenitos.blogs.sapo.pt/
    Vania Silva said...
    O verdadeiro amor nao tem fim. Eu conheci o meu apenas quando tinha 10 anos. Fiquei apaixonada mas foi amor de crianca, que depois pensava esquecer. Mais tarde voltaram-me a apresentar o mesmo rapaz e fiquei mais uma vez "in love". Na altura ele nao queria nada para alem de uma amizade e tinha namorada. Eu nao me dava por vencida e o amor ia crescendo, no entanto ele terminou com a namorada e nos iamos falando. Ele comecou a dar esperancas apesar de estar longe e quando finalmente tivemos juntos nada acontecia, mas eu nao desistia. Amor e amor... e por fim ele deu-se por vencido. E como the best of fairytale stories, "they lived happily every after."
    ZAG said...
    Queida BayWatch... apesar de ir comentar, antes gostaria de te congralutar pela tua certeza e pelo facto de teres encontrado o "Tal" e pela luta e tão cobiçado ganho... mas de referir também que isso só confirma o tema colocado pelo ART, e continuado por mim... exite alguma inveja em mim por um lado e por outro tenho a sensação de liberdade total...
    ZAG said...
    E ART... Essa musica lava-me em lagrimas... ou será do esforço para ler o vermelho no fundo preto???
    ZAG said...
    Procura o Dueto com a Melissa Etheridge ao vivo... puramente delicioso de ouvir... o sentimento é vivido a 99%...
    Anonymous said...
    O primeiro Amor...hum... já foi há uns bons anos... Mas recordo-o sempre com muito carinho... Dez anos mais tarde, e porque parecia que ele nunca me ia sair da cabeça, voltei ao passado... para descobrir exactamente isso... que era passado. Hoje recordo-o como aquele Amor que me fez crescer como pessoa e ser o que sou hoje para poder Amar sem limites... Carpe_diem
    atalhos said...
    Anos mais tarde voltei a namorar com o meu primeiro amor. Não durou mais que quatro meses mas sempre que o vejo dá-me vontade de abraçá-lo porque sinto um carinho muito, muito especial.
    Não duvido da força de um primeiro amor!
    Anonymous said...
    O meu primeiro amor...foi devastador...louco...lindo...apaixonante...fez-me crescer...sonhar...sofrer....querer morrer!
    inconfidencias.blogs.sapo.pt
    No name said...
    Penso que todos os amores sao assim, nao só o primeiro. O primeiro talvez seja apenas o mais avassalador, que pensamos que será mesmo para sempre e tudo mais...
    De resto o amor quando inicia, cada qual a seu modo é de certa forma como se fosse o 1º...
    Boa semana e um beijo enorme*
    maria santos said...
    o meu primeiro amor...nunca poderia esquecê-lo, pois foi ele que me deu os picos da minha vida...ora altos ora baixos...apesar de já ter acabado á uns bons anos ainda sinto a melancolia de um terminar mal resolvido...aconteceu assim porque eu quiz...e errei...mas foi o meu primeiro amor...e lembro-me de pensar que duraria para sempre...
    Anonymous said...
    oi tudo bem vc deichou um comentário no meu blog e resolvi dar uma olhadinha no seu tbm!!!!!!!!
    gostei muito dele!!!!!!

    Alexandre Nunes
    www.spirokado.blogger.com.br
    Anonymous said...
    Algo de sublime ! Ainda hoje o vivo intensamente. A vida não quis que fosse por ali mas a guardo com todo o carinho e amor em meu coração. Lumife (http://soimagens.blogs.sapo.pt )
    Anonymous said...
    O meu primeiro amor? o meu primeiro amor foi a minha avó; depois foram os animais e a natureza... amei e amo os meus pais e mantive o meu primeiro amor até hoje. Os Homens ficaram para segundo plano. Hoje amo da mesma forma as crianças e a paz. E amo muito, muito o meu marido que espero ser o meu último amor porque os últimos são sempre os primeiros. Ás vezes penso que a primeira vez não é tão importante como a última; será verdade? :*
    p.s.: obrigado pela visita no Frágil!
    Alexandra
    http://fra-gil.blogspot.com
    Anonymous said...
    Olá!Sou a Su....Obrigada pelas visitas ao meu canto...(http://procura-me.blogspot.com)É sempre bom ler o que os outros pensam!Gsoto muito do teu blog!Adoro a música que está subjacente...é linda!Ponho anonimo porque não tenho pw nem username.Qual é a vantagem?Posso opinar?As cores são de dificil leitura...Ou eu sou miupe!?Jinhos Su
    Vania Silva said...
    Desculpa ter postado tantas vezes, isto as vezes fica parvo.. Beijinhos e nao tens que agradecer =)
    ZAG said...
    Por causa do Art o Zag teve de fazer um novo blog (qualquer dia não faz mai nada)... só para que saibas ainda não sei o que lhe vou enfiar nem como e muito menos o quÊ... mas vou e a culpa é mesmo tua!

    http://hemodialisecerebral.blogspot.com/
    Anonymous said...
    o Primeiro será sempre lindo! ´É a 1ª vez também que visito o teu blog...e fiquei apaixonada...lindo o que escreves...! Beijinho. Se me quiseres visitar, estou em htto://chamaoculta.blogs.sapo.pt
    McClaymore said...
    Nem sempre o encontramos outra vez. Ficamos sempre na esperança que um dia qualquer na bruma apareça para trocarmos carinhos, beijos e abraços que ficaram por dar. Gravaram no coração riscos que nem outros grandes amores conseguiram apagar...
    Gerência Complexus said...
    Eu estou a viver o meu primeiro amor... E só sei que é o primeiro porque quero que seja o ultimo! =)
    Anonymous said...
    Oi Art of love!
    em primeiro lugar obrigada pelas passagens pelo meu blog smp tão simpáticas! ;)
    Gostei mto deste post!!!
    Bem, conheço raparigas que com a minha idade já tiveram mais k um primeiro amor, para falar a verdade ainda n conheçi ng a quem possa considerar o meu primeiro amor, tb n me apaixono facilmente, mas acho que essas coisas aconteçem naturalmente, quando menos esperamos.
    beijão
    Filipa
    www.almasdopurgatorio.blogdrive.com
    Anonymous said...
    É isso mesmo; o primeiro amor nunca se esquece,e infelizments acaba sempre sem sabermos bem porquê. Quando acaba leva com ele a nossa melhor parte; ele leva toda a nossa inocência, pureza e tudo de bom que havia em nós.Nunca mais amamos com a intensidade do primeiro amor.Um primeiro amor é inesquecivel.
    Anonymous said...
    O primeiro amor veio quando saia da adolescencia. Foi a primeira vez em que a cada beijo era como se fosse o primeiro, cada noite era como se a primeira. Cada vez que eu o via eu sabia exatamente todos os motivos pelos quais eu o amava. O primeiro amor me fez sentir protegida em seus bracos e me fez querer jurar que seria para sempre. Meu primeiro amor fez com que "nos" sempre viesse antes de "eu." O que era bom para nos, era bom para mim. Meu primeiro amor me fez chorar quando se foi, me fez entender a dor de perder alguem, me fez entender que na vida nem tudo eh eterno. Ele virou as costas e se foi, deixando um vazio tremendo na minha vida. Mas tambem foi ele quem me mostrou a mulher forte que sou, capaz de seguir vivendo, de deixar para tras sem esquecer, de aprender com o passado, viver o presente e aguardar o futuro.

    Nathalia
    dahlonega.weblogger.com.br
    Gonçalo Trafaria said...
    Tento acreditar que ainda o vou encontrar. Mesmo que ja o tenha tido, penso que sera sempre mais e maior.. ou então é isso mesmo, irei ter mais que um.. não será unico. Não sei.

    Abraço
    Santiago Santos said...
    O meu primeiro amor....hoje lembrei-me dela...um azul onde tudo teve inicio, o bom o mau, o sorrir.

    gostei do teu espaço parabens.

Post a Comment